Em uma nova tentativa de salvar os fícus remanescentes das avenidas Bernardo Monteiro e Barbacena, a Prefeitura de Belo Horizonte iniciou um trabalho de adubação e de ampliação da área irrigável. O objetivo é fortalecer os espécimes que ainda resistem ao ataque da mosca-branca, praga que causa um desfolhamento crônico.
 
Das 92 árvores das duas avenidas, mais da metade está morta ou em estado precário. Ontem, operários começaram a remoção do calçamento em pedra do entorno dos troncos na Bernardo Monteiro. “A ideia é prolongar a vida dos fícus”, explica a gerente de gestão ambiental da Secretaria de Meio Ambiente, Márcia Mourão. As árvores são tombadas pelo patrimônio municipal. 
 
Revitalização
 
A prefeitura prepara, também, a substituição dos fícus mortos, mas por outros tipos de árvores. A definição sairá de um concurso de paisagismo previsto para acontecer em abril.