Nos últimos dias, uma mensagem tem se multiplicado nas conversas via WhatsApp. É um texto malicioso, que oferece um álbum da Copa do Mundo 2018 com 100 figurinhas como prêmio. Mas para ganhar é preciso acessar um link, que leva a uma página de cadastro falsa, com a finalidade de roubar informações pessoais das vítimas.

A fraude foi constatada por robôs da empresa Eset, que trabalha com programas de segurança digital e está presente em 180 países. "Houve uma explosão dessas mensagens, principalmente, no mês de março, por isso resolvemos fazer um alerta", informou Camillo Di Jorge, especialista em segurança da informação da empresa.

Em Minas Gerais, a Delegacia Especializada de Investigações de Crimes Cibernéticos (DEICC) não registrou nenhuma denúncia referente à fraude. Mas segundo Di Jorge, muitas vezes, a pessoa clica no link e só vai perceber que teve os dados roubados algum tempo depois, quando descobrir, por exemplo, uma compra que não fez. 

Entre as informações roubadas estão agendas telefônicas, dados de amigos do Facebook e até documentos importantes como CPF. Com a captura dos dados, os fraudadores também conseguem enviar mensagens para amigos da pessoa que preencheu os dados da promoção, como se fossem a própria pessoa. "Então a dica é desconfiar sempre, nunca clicar nesses links e, de preferência, deletá-los", orienta o especialista.

Golpe WhatsApp Copa do Mundo
 O link leva a uma página de cadastro falsa, com a finalidade de roubar informações pessoais das vítimas

  

Outros golpes  

Por ser um aplicativo muito popular, o WhatsApp tornou-se uma alternativa eficiente para os ataques virtuais. Só no Brasil, são 120 milhões de usuários ativos mensalmente no app, segundo a Eset. 

Os fraudadores oferecerem, por exemplo, cupons de desconto, promoções e vagas de emprego para atrair o usuário. "Dessa vez, foi a Copa do Mundo, mas nossos robôs identificaram fraudes com ofertas de cafeteiras e chocolates no ano passado. Infelizmente, as pessoas só procuram saber de segurança depois que caem no golpe. O ideal é procurar se informar antes", diz Di Jorge.

Dicas de proteção:

  • A principal ferramenta de proteção é o senso crítico. 
  • Sempre que receber algo que parece bom demais para ser verdade, desconfie e reveja antes de clicar. 
  • Desconfie de ofertas que parecem muito boas para serem verdadeiras, preços excessivamente baixos e promoções incríveis, especialmente nas datas em que as compras on-line são mais populares.
  • É necessário ter cuidado com as pesquisas que prometem dinheiro ou descontos. 
  • Fique atento também ao receber newsletters de sites que não conhece. 
  • Se você desconfia de um remetente de e-mail, a melhor opção é não enviar as informações solicitadas.
  • Outro ponto a se considerar antes de clicar em um link é verificar na margem inferior esquerda da tela e checar para onde será direcionado.
  • Confira aqui alguns guias de segurança oferecidos pela Eset.

E para quem caiu na fraude, a orientação é procurar a Delegacia Especializada de Investigações de Crimes Cibernéticos (DEICC), que fica na avenida Francisco Sales, 780, no bairro Santa Efigênia. O telefone de contato é o 3217 9700.

* Fonte: Eset 

Leia mais:
Cartas que pedem atualização de dados bancários na Receita Federal são falsas
Estelionatário aplicava 'golpe do empréstimo' pela web
Rapaz é preso suspeito de aplicar golpe de empréstimo pela web em Montes Claros