Um vídeo divulgado nesta quarta-feira (22), captado pela câmera do sistema de monitoramento da Igreja Batista Shalon de Paracatu, no Noroeste de Minas Gerais, mostra o momento em que o militar reformado das Forças Armadas invade o templo armado, na noite de terça-feira (21), e ameaça fiéis que participavam de um culto fechado. Nas imagens obtidas pelo site local Paracatu News é possível ver o suspeito efetuando um disparo. 

Durante os quase dois minutos do vídeo é possível ver o instante exato em que Rudson Aragão Guimarães, de 39 anos, conseguiu entrar na igreja, que estava de portas fechadas. Para isso, ele arrombou a grade e a porta do local. Nas imagens, vê-se um grupo de fiéis orando em círculo enquanto uma criança pequena perambula entre as cadeiras. 

De repente, a roda se desfaz e um dos homens, que parece ser o pastor, foge. Logo em seguida, o suspeito aparece com a garrucha calibre 36 na mão, pouco antes, uma garotinha passa correndo na direção contrária à do atirador. Após algum tempo, Guimarães aparece mais uma vez na câmera, dessa vez empurrando uma mulher e apontando a arma para a cabeça dela. 

Um homem tenta conversar com ele, mas é empurrado e quase cai no meio da igreja. Toda essa tensão acontece enquanto uma mulher com uma criança de colo assiste a tudo apavorada na frente do templo.

No fim do vídeo, o homem aponta a arma para a direção de um idoso que caminhava vagarosamente e dispara. O tiro atinge algo no fundo e parece também ter acertado o idoso, que põe a mão na região da cintura e chega a levantar a blusa para olhar onde ele parece ter sido atingido. 

Confira:

O crime

A invasão da igreja evangélica aconteceu após o suspeito assassinar a ex-namorada, Heloísa Vieira Andrade, de 59 anos, com uma facada no pescoço. O primeiro homicídio foi cometido na casa da mãe de Guimarães. Já no templo, o suspeito assassinou o pai do pastor local, Antônio Rama, de 67 anos, e as frequentadoras da célula Marilene Martinho de Melo Neto, de 52 anos, e Rosângela Albernaz, de 50. 

Rudson Aragão Guimarães era soldado da Aeronáutica até 2003 e o motivo de sua saída da corporação não foi informado pela assessoria de imprensa do órgão. No momento do massacre, policiais que faziam o patrulhamento ouviram os tiros e chegaram ao local rapidamente, exigindo que o homem largasse a arma. De frente para os policiais, ele logo fez uma mulher de refém e, em meio à negociação, atirou na cabeça dela. Em seguida, um policial atirou no abdômen do suspeito, que recebeu atendimento médico e foi levado para o hospital da cidade.  

O pastor da igreja, que seria o principal alvo do atirador segundo informações não oficiais, fraturou o pé enquanto fugia do atirador. Ele foi encaminhado ao Hospital Municipal de Paracatu. 

Leia mais:
Saiba quem são as vítimas do atirador da igreja de Paracatu
Vídeo mostra atirador invadindo igreja antes de matar fiéis em Paracatu; assista
'Voltei do inferno para matar o pastor', disse atirador que invadiu igreja em Paracatu
Prefeitura de Paracatu decreta luto de três dias em homenagem às vítimas de massacre em igreja
Em rede social, autor de massacre em igreja de Paracatu falava de Deus e amor às mulheres
Polícia abre inquérito para apurar massacre com quatro mortes em Paracatu