A importância de vivenciar a prática da profissão escolhida já nos primeiros períodos da graduação é o desejo de grande parte dos estudantes. Nas Faculdades Kennedy, na capital mineira, essa oportunidade é oferecida aos alunos do curso de nutrição desde o início da caminhada acadêmica, por meio de ações sociais. A partir do próximo semestre, as possibilidades serão ampliadas. Os universitários poderão estagiar em hospitais e centros de saúde da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

A iniciativa é celebrada pelos graduandos. É o caso da professora de dança Ana Paula de Oliveira, de 41 anos, aluna do 2° período de nutrição. Após a gravidez, ela precisou readequar a alimentação. Depois de conversar com a nutricionista da academia que frequentava, Ana Paula começou a pesquisar as propriedades dos alimentos e se encantou. Agora, como estudante, está ansiosa para colocar a ‘mão na massa’.

200 vagas são ofertadas por ano no curso, nos turnos da manhã e noite

“A Kennedy se preocupa muito com o nosso processo de estudo, realizando cursos e atividades complementares, e eu participo de tudo que a faculdade oferece. Quero logo fazer estágio para me preparar e forma ainda melhor, para ser uma boa nutricionista”, diz.

Clínica

As parcerias de estágio firmadas com prefeituras da Grande BH são apenas um dos recursos da faculdade para que os estudantes tenham contato com o dia a dia da profissão, frisa a coordenadora do curso e doutora em ciência de alimentos, Natália de Carvalho Teixeira.

Segundo ela, no início de 2018 a graduação ainda ganhará uma clínica de atendimento integrado. Supervisionados por professores, os alunos oferecerão serviços gratuitos à comunidade como, por exemplo, avaliação nutricional. “É uma grande conquista para o curso, porque o estudante poderá tanto exercer um papel social, de devolver o conhecimento da faculdade para a população, especialmente a mais carente, quanto aprender na prática a realizar atendimentos”, explica Natália.

A professora também diz que as atividades práticas na clínica ainda na graduação proporcionarão experiência, autonomia e segurança aos estudantes quando ingressarem no mercado de trabalho.

Área é ampla e permite atuação em vários segmentos

Engana-se quem pensa que o nutricionista pode apenas atuar em clínicas, hospitais, centros de esporte e academias. Segundo a coordenadora do curso de nutrição da Kennedy, Natália de Carvalho Teixeira, o mercado profissional está bastante aquecido. Um dos destaques fica por conta da elaboração de cardápios para restaurantes comerciais com propostas saudáveis. “A área em que trabalhamos sempre está em movimento, porque as pessoas precisam cuidar da saúde sempre”, ressalta a professora.

Além de montar o cardápio, o nutricionista pode coordenar a produção de refeições e fiscalizar a segurança dos alimentos de estabelecimentos coletivos, como empresas, universidades, hospitais e restaurantes populares.

Por isso, os alunos da Kennedy estudam a composição dos alimentos e o gerenciamento da produção alimentícia em restaurantes nos laboratórios do curso de gastronomia, que contam com uma cozinha industrial. “Eles podem utilizar uma estrutura moderna para que saibam a realidade do mercado de trabalho”, destaca Natália.