Alimentação nutritiva e saborosa, mas pouco consumida nas áreas urbanas. Bastante utilizadas no passado, as Plantas Alimentícias Não Convencionais (Pancs) voltam a ganhar a mesa de muitas pessoas nos dias de hoje, especialmente por nascerem espontaneamente em vários espaços, como no mato e quintais, livres de agrotóxicos e fertilizantes químicos.

Resgatar esses alimentos, inclusive, é o objetivo de um evento on-line a ser realizado, de quarta a sexta-feira, pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig). A atividade vai reunir pesquisadores, extensionistas, professores universitários e culinaristas, que também vão discutir as pesquisas desenvolvidas e as ações para o cultivo, além da difusão e do consumo dessas espécies. 

“Vamos trazer um panorama histórico do resgate das hortaliças não convencionais no Estado. Há uma diversidade de linhas de pesquisa e ações com esse tema, que vão da manutenção das espécies, manejo e tratos culturais aos usos pela indústria alimentícia e aos aspectos da comercialização e do consumo”, explica a pesquisadora Marinalva Woods, da Epamig.

As inscrições gratuitas para o evento on-line sobre Pancs podem ser feitas neste linkAs vagas são limitadas a 250 participantes. A programação será dividida em três eixos temáticos e terá início sempre às 17h

Pesquisas

Os estudos têm ajudado na identificação das hortaliças que fazem parte da tradição culinária de diferentes regiões mineiras e do país. Dentre elas, araruta, azedinha, batata-doce, ora-pro-nobis, vinagreira (ou hibisco).

A partir desses trabalhos, a ideia é que o cultivo e o consumo delas, que perderam espaço de mercado, sejam retomados.

Segurança

O quesito preparo com segurança desses alimentos também é levado em consideração.

De acordo com especialistas, algumas dessas espécies se parecem com plantas que não são comestíveis ou podem ser tóxicas se ingeridas cruas. Um exemplo é a taioba, que sempre deve ser consumida cozida ou refogada.

O mesmo vale para as flores comestíveis encontradas na natureza, que também são nutritivas. Bonitas visualmente, muitas espécies são tóxicas e causas graves problemas de saude se ingeridas.

Confira algumas receitas*:

Lírio amarelo

Patê de flores: selecione e lave as flores e botões e pique-os. Em duas colheres de sopa de azeite com sal, orégano e pimenta refogue uma ricota (400 gramas). Adicione as flores (350 gramas), mexa e deixe murchar. Conserve em geladeira e sirva quente ou frio. Como o sabor é bastante forte, dispensa alho. Pode-se usar menos flores.

Begônia trepadeira

Empanada: selecione folhas jovens, lave-as com cuidado para não quebrar ou amassar. Bata quatro ovos, orégano, sal e alho a gosto. Passe as folhas na mistura e em seguida na farinha de trigo ou de rosca. Frite em óleo quente, escorra e sirva quente. Ficam super crocantes. 

Peixinho da horta

Peixinho à dorê: colhas as folhas jovens, lave-as e escorra bem ou centrifugue. Bata quatro ovos, sal, orégano e alho. Use goma de mandioca ou farinha de trigo para empanar. Frite em óleo quente e sirva quente. 

Murta

Geleia: colhas os frutos maduros, lave-os e esmague em uma peneira de arame para extrair a polpa e reter as sementes. Adicione metade de açúcar cristal em relação ao total de polpa. Mexa até dar ponto. A geleia fica levemente picante e pode ser usada como molho agridoce em carnes e molho vermelho em massas.

Suco verde de talos de mostarda e taioba

Aproveite os talos retirados da taioba e da mostarda para preparar um suco. Adicione uma laranja inteira e bata no liquidificador com pouca água. Não precisa adoçar. Dois talos rendem uma taça.

*Com informações de Patrícia Santos Dumont
 

Tagliatelle à bolonhesa com PANC**

Ingredientes:

300 gramas de tagliatelle ou outro tipo de massa longa (fresca ou comprada em supermercado)
200 gramas de molho à bolonhesa preparado como de costume
1 folha de mostarda
5 a 6 folhas de ora-pro-nóbis
1/2 folha de taioba
Azeite a gosto

Modo de preparo

Prepare a massa e o molho e reserve. Pique a mostarda, a taioba e o ora-pro-nóbis bem fininhos, como se faz com couve, e refogue-os no azeite. Incorpore os ingredientes ao molho e acrescente à massa. Para decorar, salpique folhas picadas sobre o prato e use um raminho de ora-pro-nóbis.

Rendimento: 2 porções

**Receita do chef Jackson Cabral