O ginecologista e obstetra Mário Dias Corrêa morreu neste sábado (2) em Belo Horizonte. Formado em medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde posteriormente atuou como professor, Corrêa ganhou, carinhosamente, o título de "Pai da Medicina". 

Ele foi um dos primeiros a introduzir o uso de sulfato de magnésico no tratamento contra pré-eclâmpsia em grávidas. O obstetra está sendo velado no Cemitério do Bonfim, na região Noroeste da capital mineira. O enterro está marcado para acontecer às 9 horas de domingo (3)..

Obstetra Mário Dias Corrêa
Obstetra Mário Dias Corrêa tinha mais de 90 anos

Luto

Nas redes sociais, diferentes profissionais, principalmente da área médica, lamentaram a morte de Corrêa e prestaram solidariedade à família dele. 

"O sentimento de perder o seu “Pai da Medicina” no dia de hoje, não é exclusividade meu. Esse sentimento só sentimos pelos grandes mestres. Aqueles que cuidam da sua formação, não só cientifica, mas também pessoal. Aqueles que demostram o interesse de ajudar-lhe a superar as angústias que a medicina lhe traz", escreveu o ex-aluno e atual diretor da Associação Mineira de Ginecologia e obstetrícia (Sogimig), Clóvis Antônio Bacha.

A Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) também prestou homenagens ao médico. "Na década de 1950 foi pioneiro na concepção de uma especialidade que cuidava da mãe e do feto. A obstetrícia brasileira perde um dos ícones da sua história".

"Meu grande mestre! A medicina e a obstetrícia brasileiras perdem um grande profissional, professor honrado, ético e dedicado ao ensino. Que Deus console o coração de seus familiares", postou Ubiratan Brito Mota, em uma rede socail, 

Biografia

Graduado em medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (1949), Corrêa tinha especialização em colposcopia (1951), mestrado em ginecologia e obstetrícia (1979), doutorado em obstetrícia e ginecologia, todos também pela UFMG. Além disso, o médico fez residência-médica no Chicago Lyingin Hospital (1953) e na UFMG. Atuou como professor na UFMG e professor assistente na Faculdade de Ciências Médicas.