A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou a entrada da vacina chinesa Sinopharm no consórcio Covax Facility. O grupo reúne governos e fabricantes para organizar a produção e distribuição de vacinas para os países que fazem parte da articulação.

Até então faziam parte do consórcio as vacinas da Pfizer/Biontech, AstraZeneca, Janssen e Moderna. A da Sinopharm é o primeiro imunizante chinês a ser aprovado e integrado às doses que serão distribuídas.

O Brasil é um dos países que integram o consórcio Covax Facility. O país investiu recursos e terá direito a receber 42,5 milhões de doses do grupo. Até o momento o Brasil recebeu 5 milhões de doses do consórcio.

Assim, além das vacinas já adquiridas pelo governo federal, a Sinopharm vira o sétimo tipo de imunizante que poderá ser aplicado no Brasil, além da Oxford/AstraZeneca, Coronavac, Pfizer, Janssen e Covishield (vacina da AstraZeneca fabricada na Índia), além da Moderna, também pelo Covax Facility.

Leia Mais:
Belo Horizonte registra aumento na ocupação de UTIs e enfermarias para pacientes com Covid-19
Fabricação de vacina da Fiocruz totalmente no Brasil começa dia 15
Vacinação contra a Covid em BH neste sábado é exclusiva para pessoas com comorbidades; veja