Operário morre após sofrer queda em canteiro de obras em BH

Sara Lira - Hoje em Dia
27/07/2015 às 13:57.
Atualizado em 17/11/2021 às 01:06
 (Ricardo Bastos)

(Ricardo Bastos)

Um operário morreu após sofrer um acidente de trabalho em uma obra no bairro Sagrada Família (região Leste) na manhã desta segunda-feira (27). De acordo com o tenente Roger Tauschek do Corpo de Bombeiros, Damião dos Santos, de 47 anos, foi destampar um tubulão quando escorregou e caiu lá dentro, em uma profundidade de aproximadamente 20 metros - o equivalente a um prédio de sete andares. O tubulão é uma espécie de furo grande onde se coloca a base para a fundação da estrutura com concreto e ferragem.

O resgate foi feito com um integrante dos Bombeiros que desceu até o local para retirar o homem utilizando técnica semelhante à de rapel. "O operário apresentava fraturas nas pernas, mas o médico do Samu constatou a morte no momento exato em que ele foi retirado", explicou o tenente. Segundo o militar, os colegas relataram que ele aparentava estar bem de saúde, o que descartaria uma queda por ele ter passado mal ou algo semelhante.

A obra na rua Genoveva de Souza é de um conjunto de prédios residenciais com 25 pavimentos e 126 apartamentos no total, e estava na fase inicial. Após o acidente o local foi isolado e o serviço paralisado. No início da tarde, uma equipe da Polícia Civil chegou até a construção para realizar a perícia. Quando os trabalhos terminarem, o corpo será encaminhado para o Instituto Médico Legal.

A PC vai investigar quais seriam as reais causas do acidente e se ele utilizava os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) adequadamente na hora do acidente.

A reportagem do Hoje em Dia entrou em contato com a empresa responsável pela obra, mas foi informada de que os funcionários estavam em horário de almoço e não poderiam atender a equipe.

Acidentes na construção civil

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção de Belo Horizonte, Zildo Gomes Viana, esteve no local do acidente e lamentou o fato. Para ele, as empresas estão negligenciando a segurança dos operários.

“Estamos preocupados porque com essa crise na construção civil as empresas acabam economizando na distribuição dos EPIs. Com isso, a segurança individual e coletiva dos funcionários fica comprometida”, afirmou.

Segundo ele, apenas no mês de julho aconteceram oito acidentes graves em canteiros de obras em Belo Horizonte, sendo dois com morte.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por