Uma megaoperação de combate ao transporte irregular realizada no Centro de Belo Horizonte resultou na autuação de 242 motoristas. A ação teve início no dia 28 de junho e prossegue nesta quinta-feira (5). O principal alvo dos fiscais são as ruas Tupinambás, Rio Grande do Sul e a avenida do Contorno.

Conforme a Guarda Municipal, foram abordados vans, ônibus e carros que fazem transporte clandestino. A vistoria para inibir a ação dos infratores na aréa central da capital acontece diariamente das 6h até as 21h. Além do transporte irregular, também foram aplicadas multas por documentação vencida, veículos em péssimo estado de conservação, com excesso de passageiros, parados em local proibido e de motoristas inabilitados.

No total, 50 agentes participaram da operação. Além da GM, a ação contou com agentes da Polícia Militar, da BHTrans e do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER-MG). O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH) e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Região Metropolitana de BH (Sintram) também acompanharam a ação.

Perigo

O transporte irregular de passageiros tem autuação prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). A infração é considerada média, com multa de R$ 130 e retenção do veículo. 

Segundo o inspetor João Marinho de Souza Júnior, coordenador da Inspetoria de Fiscalização de Trânsito da Guarda Municipal de BH, o usuário que utiliza o transporte clandestino fica submetido ao risco de embarcar em veículos em mau estado de conservação, guiados por condutores desconhecidos e até inabilitados.

Leia mais:
Está em vigor a lei que restringe trabalho de motoristas por aplicativo no aeroporto de Confins
Cinco rodovias federais de Minas concentram 80% dos acidentes com óbitos