Dois suspeitos de contrabandear migrantes para os Estados Unidos foram presos pela Polícia Federal (PF), nesta quinta-feira (17), em Minas. As prisões foram feitas em São Joaquim de Bicas, na Grande BH, e Abre Campo, na região Central do Estado.

A operação “Le Mans” foi deflagrada pela corporação com objetivo de encerrar as atividades de uma associação criminosa. Segundo a PF, os detidos eram responsáveis por transportar os migrantes no território nacional e efetuar pagamentos para o funcionamento do esquema.

Ainda conforme informou a corporação, as investigações tiveram início por conta da fuga de um homem e da filha dele, de 3 anos, para o Paraguai. Após a prisão - realizada em 5 de junho na fronteira com o país - e a recuperação da criança pela mãe, foi identificada a existência do grupo que, de acordo com a PF, estaria envolvido na “promoção de migração ilegal de brasileiros para os Estados Unidos, com o fim de obter vantagem econômica”. Além das prisões, também foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão.      

R$ 100 mil por pessoa

As apurações contabilizam o envio recente de 14 brasileiros ao México, onde ainda se encontram aguardando instruções para cruzar a fronteira com os Estados Unidos. Outros sete brasileiros estão em São Paulo aguardando orientações do grupo criminoso para migrar para o exterior. 

Ainda de acordo com a PF, era cobrada a quantia de R$ 100 mil por pessoa. As investigações prosseguem para localizar migrantes que ainda se encontram no México e outros que sequer deixaram o território brasileiro.

A promoção de entrada ilegal de brasileiro em país estrangeiro, com a finalidade de obter vantagem econômica, é crime punido com prisão de até cinco anos.

Leia mais:
Fraudes no auxílio emergencial são alvos de operação em Minas e mais sete estados
Força-tarefa tenta capturar 'serial killer do DF’, suspeito de matar 4 pessoas da mesma família
Operação apreende 50 kg de cocaína na BR-135, em Curvelo