Duas pessoas foram presas, nesta quarta-feira (27), durante a operação Câmera-1, da Polícia Federal, que investiga fraudes bancárias por meio de clonagens de cartões no Norte de Minas. 

De acordo com a PF, a dupla faz parte de um grupo especializado em instalar dispositivos de captação de senhas e dados de cartões de clientes da Caixa Econômica Federal. Depois, efetuavam saques, principalmente, de contas de vítimas que tinham cartões sem chip.

As duas prisões ocorreram na cidade Icaraí de Minas, sendo os suspeitos um homem de 29 anos e uma mulher de 37. O homem preso responde por roubo de equipamento bancário no Estado de São Paulo e já foi condenado, no Rio de Janeiro, por crimes de clonagem de cartões bancários, Ele estava em liberdade aguardando o julgamento de um recurso. 

As investigações começaram há cinco meses após o próprio banco perceber as fraudes e fazer a denúncia. A Polícia Federal estima que o prejuízo com a clonagem de cartões já chega a R$ 100 mil e mais de 400 vítimas, de Montes Claros, Bocaiuva, Janaúba, Januária, Pirapora, São Francisco e Várzea da Palma.

Os investigados podem responder pelo crime de furto qualificado e a pena é de até oito anos de reclusão.