Mais de 150 mandados judiciais foram cumpridos no Triângulo Mineiro pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Uberlândia, nesta quarta-feira (19), na Operação “Dominó”, para coibir crimes como roubo de cargas e receptação de veículos.

Nesta primeira fase, a ação contou com 300 policiais militares, seis promotores de Justiça e quatro auditores da Receita Estadual, além da utilização de 82 viaturas. Os alvos foram procurados nas cidades de Uberlândia, Uberaba, Araguari, Monte Carmelo, Abadia dos Dourados, Centralina, Canápolis e Caratinga. 

Segundo o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), os policiais cumpriram 89 mandados de prisão preventiva e 63 de busca e apreensão. Também foi determinado Justiça o sequestro de 91 veículos, entre caminhões, carros e motocicletas, bem como a indisponibilidade dos imóveis de 68 investigados. 

Quadrilha

As investigações tiveram início em março de 2018, após a apreensão de dois caminhões em Uberlândia, que foram roubados no estado de Goiás, e a prisão em flagrante de dois criminosos. 

Mas o que começou como uma investigação de roubo de cargas revelou a existência de quadrilhas especializadas em roubo de caminhões, fazendas e veículos de passeio, além de receptação e todas com conexões entre si. 

Cerca de sete grupos, que agiam nas regiões do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, além da região Sul do estado de Goiás, foram responsáveis por pelo menos 50 crimes, entre eles, roubo de carga de café, cerveja, grãos em geral, gado, cosméticos e eletrodomésticos.

O Gaeco prendeu 25 suspeitos em flagrante pela prática de roubos de cargas e de estabelecimentos comerciais, receptação de caminhões e porte ilegal de arma de fogo, e pelo menos outros 30 estão em fase final de apuração.

Já foram oferecidas 11 denúncias, sendo sete pelo crime de organização criminosa e quatro por crimes praticados pelos seus integrantes.