Oitenta e um postos de combustíveis de Minas Gerais foram fiscalizados nesta quinta-feira (8) por possíveis irregularidades durante a Operação “Petróleo Real”, coordenada pelo Ministério de Justiça e Segurança Pública. Até o momento, seis postos foram interditados e 24 autuados.

Além da qualidade e validade dos combustíveis, também estão sendo checadas as questões ligadas à defesa do consumidor como a integridade das bombas de abastecimento e a transparência dos preços.

Em caso de constatação de irregularidade, é feito o auto de infração, sendo o responsável autuado. Ele poderá se defender, mas será gerada uma multa para o estabelecimento.

“A integração de tantas instituições proporciona uma vistoria completa nos postos inspecionados, verificando também a questão de sonegação de impostos, qualidade do combustível, integridade das bombas e equipamentos e questões de segurança”, explicou Bernardo Naves, superintendente de Integração e Planejamento Operacional da Sejusp.

A operação ocorre, simultaneamente, em 24 estados e no Distrito Federal. Em Minas a ação é coordenada pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) com a participação e operacionalização da Polícia Civil de Minas Gerais, Procons Municipais, Procon Estadual, Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis - Núcleo Regional Minas Gerais (ANP-MG), Instituto de Metrologia e Qualidade do Estado de Minas Gerais (IPEM-MG), Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e também o apoio da Secretaria de Estado de Fazenda.