Visando combater crimes violentos em todas as regionais da Polícia Civil (PC) em Belo Horizonte, a operação "Choque de Ordem" terminou com 19 pessoas presas por diversos crimes diferentes. Planejada há cerca de dois meses, ela teve início na última segunda-feira (2), com a prisão de seis flanelinhas que atuavam extorquindo motoristas no bairro Buritis, na região Oeste da capital, e foi finalizada nesta quarta-feira (4), com 13 prisões, entre elas a de um integrante da Galoucura acusado de tentar matar um cruzeirense na avenida Amazonas, em 2018. 

Em coletiva de imprensa concedida nesta tarde, o delegado-geral Wagner Sales afirmou que a grande maioria dos detidos possuem passagens pela polícia, contando com o que ele chamou de "vasto cardápio criminal". "Passam desde tentativa de homicídio, tráfico de drogas, associação para o tráfico, até furtos e roubos. Os presos não têm relação entre si, essa operação focou na parte geográfica, efetuando prisões de suspeitos de todas as regionais", disse. 

Na regional Noroeste, foram presos uma mulher de 28 anos e um homem de 25, detido em flagrante na Pedreira Prado Lopes. Já na área da PC do Centro, um suspeito de 39 anos acabou detido em Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Um homem de 27 anos foi detido na regional Leste. 

O maior número de prisões aconteceram na região do Barreiro, onde acabaram detidos cinco homens de 21, 22, 33, 37 e 44 anos, seguida pela regional Sul, com três detidos de 23, 24 e 30 anos.  Por fim, na região de Venda Nova, uma última prisão de um suspeito de 32 anos aconteceu. Já na segunda-feira, quando a operação contra falsos flanelinhas foi desencadeada, foram presos homens de 28, 36 e 40 anos. Os outros três alvos dos mandados já estavam detidos, sendo um de 29 e dois de 32 anos. 

Galoucura 

Decorrente de investigações da delegacia da regional Sul, acabou detido um homem de 30 anos que é suspeito de uma tentativa de homicídio registrada em março de 2018 no bairro Prado, próximo da avenida Amazonas. "Ele tinha um mandado em aberto e é membro da Galoucura, tendo cometido o crime contra um torcedor do Cruzeiro. Ele inclusive confessa o crime, mas não estava preso como os outros envolvidos", detalhou o delegado Wagner Sales. 

Confira o vídeo que mostra o dia das agressões: 

Leia mais:
Polícia fecha o cerco a flanelinhas da região do Buritis; veja vídeo com flagrante de furto
Justiça mantém prisão de torcedores acusados de espancar cruzeirense
Membros da Galoucura que espancaram cruzeirense em 2018 irão a júri popular