A operação conjunta do Corpo de Bombeiros e da Prefeitura de Belo Horizonte terminou neste domingo (3) com cinco estabelecimentos interditados, três multados e outros 14 advertidos. Os bombeiros não souberam informar o nome dos locais que apresentaram irregularidades durante as vistorias, apenas que eles ficam localizados na Savassi, região Centro-Sul da capital, e na região Leste. 

Apenas dois dos estabelecimentos vistoriados estavam regularizados e outros 18 estabelecimentos estavam fechados ou seus responsáveis não foram encontrados, ou ainda apresentaram alguma mudança de ocupação. Ainda conforme o balanço do Corpo de Bombeiros, um estabelecimento estava em processo de regularização.
 
No primeiro dia de trabalhos, na última sexta-feira (1°) foram fechadas a casa noturna "UP E.Music", que fica na avenida Getúlio Vargas, bairro Funcionários, e o salão de festas "Yupii!", na avenida Luiz Paulo Franco, no Belvedere, foram interditadas, ambas na região Centro-Sul da capital. Esta última passou por nova vistoria e foi desinterditada por ter se adequado às exigências legais. 
 
Segundo o Corpo de Bombeiros a interdição é feita quando há risco iminente como, por exemplo, a ausência total de meios preventivos ou número de saídas de emergência incompatíveis com a capacidade de público do local. Já as casas noturnas e boates notificadas têm um prazo de 60 dias para regularizar a situação e para os estabelecimento multados, o prazo é de até 30 dias. A multa prevista para os estabelecimentos que não estiverem respeitando a legislação de segurança varia de R$ 250,16 a R$ 1.250,80, podendo chegar a R$ 2.501,60 em caso de reincidência.
 
Como o Hoje em Dia mostrou ao longo da semana passada alguns estabelecimentos da capital e do interior do Estado apresentam várias falhas na segurança e o Corpo de Bombeiros não tem homens suficientes para fiscalizar a segurança de boates, casas de shows e edifícios.