A Justiça Federal de Minas Gerais acatou pedido da Advocacia-Geral da União (AGU) e determinou que as operadoras de telefonia móvel forneçam dados sobre os sinais de aparelhos de clientes que estavam na região afetada pelo rompimento da barragem de rejeitos da mineradora da Vale, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.

"A decisão se estende aos clientes que estavam nas imediações da Mina de Córrego de Feijão entre a meia-noite de quinta-feira (24) e o mesmo horário de sexta (25), num raio de 20 quilômetros", diz nota da AGU.

As empresas de telefonia que deverão cumprir o pedido são: Vivo, Tim, Claro, Oi, Nextel, Algar Telecom e Sercomtel.

Segundo postou nas redes sociais o advogado-geral da União, André Mendonça, “as informações devem ser repassadas com urgência pelas empresas diretamente para os órgãos envolvidos nas operações de socorro e resgate: Forças Armadas, Defesa Civil de Minas, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Vale e para a Prefeitura de Brumadinho”.

Mortes

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais divulgou boletim confirmando a morte de 34 pessoas por causa do rompimento da barragem de rejeitos na Mina do Feijão. Ainda segundo os bombeiros, 23 pessoas foram encaminhadas aos hospitais e 81 estão desabrigadas.