O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), marcou presença na 22ª edição da Parada do Orgulho LGBT da capital mineira. Ovacionado pelos participantes, o chefe do Executivo municipal pediu que não deixem de manifestar amor. Neste ano, o evento, cujo ponto de encontro é a Praça da Estação, no Centro, lembra a rebelião ocorrida em Nova Iorque há 50 anos e traz no título um manifesto: "Não aos retrocessos! Revivendo Stonewall". 

"Nós podemos mostrar para todo mundo que essa cidade não tem dono. Ninguém manda nela a não ser o povo", declarou o prefeito, aplaudido pelos presentes. Kalil também sugeriu três "frases" que, segundo ele, são libertadoras nesta data. 

A primeira classificou como "não sei", referindo-se aos constantes aprendizados em relação à diversidade sexual. "Em seguida, virem para quem vocês amam e digam 'eu te amo'. Por último, 'foda-se' para os que pensam o contrário", falou o prefeito.

A multidão fez críticas ao presidente da República, Jair Bolsonaro, autor de declarações consideradas homofóbicas.

Parada LGBT BH 2019

Prefeito reforçou que "quem manda na cidade é o povo" 

Presença

Em entrevista coletiva, quando questionado sobre ser um dos únicos prefeitos brasileiros a demonstrar apoio às paradas do orgulho LGBT, Kalil afirmou que comparece aos eventos para os quais é convidado. 

"A mesma importância que dou quando sou convidado, por exemplo, a encontros com pastores evangélicos. Quando recebo Dom Walmor (arcebispo de Belo Horizonte) para resolver problemas relacionados à Catedral Cristo Rei", exemplificou, emendando que a conduta faz parte de uma boa governança. 

"Quem não tem a sensibilidade e está governando para todo mundo, a todos que precisam, está na contramão do que está acontecendo hoje", finalizou.

Leia mais:

Transexuais e travestis unem esforços para superar baixa expectativa de vida