O homem acusado de estuprar e matar o enteado, de 2 anos, em Ipatinga, na região do Rio Doce, foi condenado a 37 anos e 9 meses de prisão em regime fechado. O júri aconteceu nessa segunda-feira (11) e teve duração de quase 10 horas.

O promotor responsável pelo caso citou pelo menos 10 provas circunstanciais que comprovam a culpa de Rainuenio Campidelis Correia, de 25 anos.

O crime aconteceu em 25 de novembro de 2012. Depois da agressão à criança, o padrasto ficou foragido por alguns dias. O acusado e a mãe da criança teriam levado o menino ao Pronto Socorro de Ipatinga, somente um dia após as agressões, mas os médicos constataram que Kaio já estava sem vida.

O corpo da criança apresentava hematomas no tórax, braços, pernas, testa, no rosto, tórax, além de arranhões no pescoço.

Conforme denúncia do Ministério Público de Ipatinga, o condenado teria agredido o menino Kaio Lucas Garcia Negris, de forma violenta, provocando uma hemorragia interna, resultando no óbito.

Na época do crime, a polícia recebeu uma denúncia anônima  confirmando que a criança havia sido espancada um dia antes, reforçando o parecer do laudo médico.

De acordo com a informações do Fórum de Ipatinga, a pena de Rainuenio foi dividida em dois crimes. Por quatro votos a três, ele foi condenado a 22 anos pelo homicídio duplamente qualificado e a 15 anos e 9 meses pelo estupro. O advogado de defesa informou que vai recorrer da sentença.
 
Padrasto acusado de estuprar e matar enteado de 2 anos é condenado, em Ipatinga