Um padre do distrito de São João da Chapada, região Central do Estado, é suspeito de abusar sexualmente de dois adolescentes entre os anos de 2013 e 2016. O caso está sob investigação da Polícia Civil de Diamantina. Um inquérito, aberto no Tribunal de Justiça, corre sob sigilo.

Desde as primeiras denúncias, há quatro meses, o homem foi afastado das atividades. A arquidiocese de Diamantina afirmou que até a tarde de terça-feira (1º) não havia recebido nenhuma denúncia.

Segundo a polícia civil, com um mandado de busca e apreensão em mãos uma equipe conseguiu apreender na residência do páraco várias mídias, como um hardware e pen-drive. O conteúdo do material ainda está sendo analisado.

Por determinação judicial, além de se afastar do centro comunitário onde trabalha, o suspeito não pode ter contato com as vítimas e as testemunhas; tampouco pode deixar a cidade sem a autorização da Justiça.

Ele ainda está sob vigilância: deve se recolher das 20 às 6 horas, inclusive aos fins de semana.