A Polícia Civil (PC) de Guaxupé, no Sul de Minas Gerais, trabalha nesta sexta-feira (4) para tentar descobrir o que teria motivado um homem de 52 anos a assassinar a tiros uma família vizinha e, em seguida, tirar a própria vida. O crime aconteceu na noite de quinta-feira (3), quando Emerson Donizeti Ferreira, de 48 anos, sua mulher, Eliete Diniz Ferreira, de 43, e o filho deles, Felipe de Oliveira Ferreira, de apenas 10 anos, foram friamente executados quando chegavam em casa.

A Polícia Militar (PM) foi acionada na rua Conceição Aparecida, no bairro Parque Municípios II, por volta das 19h30. Testemunhas contaram que o suspeito estava esperando a família chegar e, assim que o carro parou, ele atirou sem falar qualquer coisa, suicidando logo em seguida ao atirar simultaneamente com duas armas em sua cabeça. 

Quando os militares chegaram ao local, encontraram o carro da família, uma pick-up Fiat Strada parada em frente à casa. No banco do motorista estava Emerson, já sem vida. Ao seu lado a esposa, com um tiro na cabeça, ainda agonizava, assim como o garotinho, que foi atingido por um tiro no peito.

A cerca de 30 metros do veículo, o autor de 52 anos estava caído também já morto. Os policiais imediatamente colocaram mãe e filho em uma viatura e os encaminhou até o hospital da cidade. Porém, ambos não resistiram à gravidade dos ferimentos e morreram na unidade de saúde.  

Perto do corpo do atirador, os policiais encontraram uma pistola Tauros calibre .380 e um revólver calibre 32. Ainda conforme a PM, próximo ao carro das vítimas os agentes localizaram uma bolsa de plástico, também de propriedade do suspeito, onde estava um garrucha de dois canos de calibre 22 e várias munições de diversos calibres. 

Segundo a funerária Guaxupé, a família foi velada no Velório Municipal da cidade, sendo que a mãe foi sepultada às 14h no Cemitério Central e pai e filho às 14h30 no cemitério Alto da Colina, também na cidade. 

Mais armas

Após isolarem o local para o trabalho da perícia técnica da Polícia Civil (PC), os militares deslocaram então até a casa do autor, dois imóveis acima da residência da família assassinada.

Lá foram localizadas ainda uma espingarda de calibre 38 com luneta de mira e uma espingarda de pressão. Conforme a PM, todas as armas estavam irregulares e foram apreendidas. 

homicídio guaxupé
O assassino tinha diversas armas, todas elas irregulares

Motivação

Procurada pela reportagem, a PC informou apenas que suas equipes estão no local do crime, acompanhando os trabalhos periciais e fazendo os levantamentos para identificar a motivação do crime. 

Entretanto, informações repassadas por vizinhos dos envolvidos para o jornal local Magaiver TV dão conta que Emerson estaria devendo dinheiro para o suspeito e que, por conta de brigas referentes à dívida, teria chamado o assassino de "Gay", o que poderia ter sido a motivação do triplo homicídio. Porém, a informação ainda é verificada pela polícia. 

Leia mais:
Jovem que pagou pela morte dos pais para ficar com herança é condenado a 59 anos de prisão
Sobrinho mata tio com cortes no pescoço feitos por uma garrafa quebrada
Homem que matou mãe e filho consegue liberdade provisória por porte de arma, mas segue preso