Cansado de esperar uma atitude da prefeitura, o servidor público municipal Márcio Jesus Ribeiro de Souza resolveu ele próprio pintar, nesta terça-feira (13), a faixa de pedestre em frente a escola dos filhos pequenos, na rua São Claret, no bairro Silveira, região Sudeste da capital. Segundo ele, a primeira solicitação que fez à prefeitura para refazer a faixa, apagada com o tempo, foi em 2013. Depois vieram outros pedidos, que sempre foram respondidos com um breve “em análise”. “A ausência da faixa na porta da escola gera vários transtornos, um deles é que muitos estacionam aqui. Outro é a insegurança, é perigoso para as crianças atravessarem a rua”, diz.

Ele ainda reforça que o ideal seria uma travessia elevada, porque há na escola alunos com deficiência física. “Eu pago meus impostos, tenho que pagar a escola, o plano de saúde e ainda fazer um serviço que deveria ser responsabilidade da prefeitura”, comenta, indignado.

O presidente da associação comunitária do bairro Nova Floresta/Silveira, Ronaldo Costa, diz que já fez a mesma solicitação para BHTrans e também não obteve resposta satisfatória. “Isso é uma medida paliativa, desesperada de um pai de aluno diante do problema. Mas ele se repete em outros pontos do bairro”, comenta.

Em nota, a BHTrans esclarece que já existe um projeto de revitalização de toda a sinalização da Rua São Claret, no Bairro Silveira, incluindo a faixa de pedestre em frente ao número 242. “A manutenção das faixas de pedestre na cidade de Belo Horizonte segue uma programação definida de acordo com as prioridades”, ressaltou. Ainda segundo a BHtrans, em 2014 foram revitalizadas 277 faixas de pedestres já existentes e implantadas 189 novas faixas na cidade. No período, a BHTRANS investiu um valor de R$ 463.943,04 com manutenção das faixas. Em 2015, foram revitalizadas 137 faixas no primeiro semestre.