De repente, cinco: sem medicina reprodutiva ou histórico familiar, um casal de belo-horizontinos, que já tem duas crianças, foi surpreendido por uma gravidez de trigêmeos durante a pandemia. Para ajudar no custeio da grande família, os papais criaram uma vaquinha e um chá de bebê on-line. Participe aqui

"A notícia foi um choque. Uma mistura de sentimentos e emoções. Estamos muito felizes, nos sentimos abençoados por Deus, mas a situação financeira não deixa de ser uma preocupação", contou Carolyne Cangussu, de 30 anos, que ajudava nas contas da casa com o trabalho de confeiteira, mas precisou interrompê-lo devido à indicação médica de repouso.

O papai, o servidor público Misael Marques, de 32 anos, deixou os complementos como motorista de aplicativo e segurança de casa noturna durante a pandemia de Covid-19, por questões de segurança. "A chegada de uma criança em uma família acarreta em despesas incalculáveis. Quando esse número é multiplicado por três, os valores são ainda maiores", disse.

Apoio e solidariedade

Com a renda menor  e com prestações atrasadas do financiamento do veículo e o aluguel da casa, o casal encontrou nas redes sociais uma forma de pedir ajuda. Todo o processo é registrado e postado no Instagram. 

Até o momento, os pais ganharam roupas, fraldas para recém-nascido e berços. "Não consigo encontrar palavras que expressem tamanha gratidão que estamos sentindo", relatou a mamãe dos trigêmeos, que está no terceiro mês de gestação, em postagem na rede.

No entanto, conforme explicou Misael, muita coisa ainda é necessária. "Precisamos ainda de fraldas no tamanho M, G e XG. Também não temos carrinhos de bebê, bebê-conforto, mosqueteiros, mamadeiras, utensílios de procedimentos pós-saída da maternidade, bolsa-maternidade, banheiros e trocadores", contou.

Caso raro

O caso de Carolyne é raríssimo. Na natureza, estima-se que a trigemelar ocorra uma vez a cada sete mil gestações. Para se ter uma ideia, as chances de gestação múltipla via tratamento por inseminação ou fertilização in vitro são de apenas 3% para trigêmemos.

"Não planejávamos ter outro filho, não estava fazendo nenhum tipo de tratamento e não existem casos de gêmeos ou trigêmeos na nossa família", contou a mamãe.