O ano mal começou e Belo Horizonte já registrou quatro casos de pessoas que forjaram roubos de celulares para tentarem obter um aparelho novo de seguradoras. De acordo com a Polícia Militar (PM), o delito tem sido cada vez mais comum, sendo que os suspeitos podem pegar até seis meses de prisão.

O último caso foi registrado na tarde desta quarta-feira (6), quando um homem de 53 anos acabou preso em flagrante pela Polícia Militar (PM) no bairro Palmeiras, na região Oeste da capital. O tenente Rodrigo Souza, da 10ª Companhia do 5º Batalhão da PM, conta que o suspeito procurou a unidade na noite de terça-feira (5). "Ele alegou que foi abordado na rua Amendoeiras por dois suspeitos armados, sendo que foi levado dele um aparelho da Sansung J2", lembrou o oficial. 

Diante da denúncia, os policiais se deslocaram até o local em busca de imagens de câmeras de seguraça que pudessem elucidar o crime. "Fomos até a casa dele e, em conversa com o filho do homem, começamos a desconfiar. Perguntei se o rapaz tinha algum celular e ele nos mostrou um aparelho com a tela quebrada, que acabamos confirmando que se tratava do mesmo telefone que o pai denunciou o roubo", completou o tenente Souza. 

Confirmada a falsa denunciação de crime, o suspeito acabou detido por volta das 14h30 desta quarta. "Ele confirmou que o telefone do filho quebrou a tela e que precisava do Boletim de Ocorrência de roubo para receber um aparelho novo. Com isso demos a voz de prisão e o homem foi encaminhado para a Delegacia Adjunta ao Juízado Especial.

Outros casos

No último dia 22 de janeiro, a PM divulgou que duas pessoas foram presas no Centro de Belo Horizonte por falsa comunicação de crime com o mesmo objetivo: receber o valor do seguro. 

Na primeira ocorrência, um rapaz de 23 anos procurou a a 6ª Cia da PM, que fica na rua Carijós, para registrar o roubo de um celular, que teria ocorrido na Praça Sete. Mas durante o interrogatório, os policiais perceberam algumas contradições e ele acabou confessando que tentou fazer o boletim de ocorrência para conseguir o benefício do seguro do aparelho. Ele contou que perdeu a carteira de documentos e o celular depois de ter bebido e dormido em um ponto de ônibus próximo ao Mercado Central, na madrugada da segunda-feira (21).

No outro caso, uma mulher teria inventado que foi roubada para também conseguir o seguro do celular. Mas na presença da PM, ela acabou confessando que inventou a história depois de perder o aparelho no local de trabalho.

Já no dia 23 de janeiro, foi a vez de um jovem de 22 anos ser preso na capital pelo mesmo crime. Segundo a PM, o rapaz informou que teria sido vítima de um roubo na Praça João Viana, no bairro Rio Branco, região de Venda Nova. O jovem acionou a polícia e informou que havia sido abordado por dois homens, que teriam apontado algo pontiagudo na direção dele e exigido o celular. Ainda na versão do rapaz, a dupla teria fugido a pé.

A PM desconfiou da versão e perguntou porque a suposta vítima estava com a caixa do aparelho telefônico na mão. O jovem contou que, como morava perto, foi até a casa buscar a caixa para registrar a ocorrência e, assim, ter direito ao seguro. Os militares fizeram rastreamento na região e analisaram câmeras de segurança do local, que não registraram o crime. Com isso, o rapaz confessou que havia perdido o aparelho e inventado a história para receber o dinheiro.

Leia mais: 
Jovem é preso após mentir que teria sido roubado em BH para ganhar seguro de celular
Duas pessoas são detidas por falsa comunicação de crime no Centro de Belo Horizonte
BH tem um caso de estelionato por hora; por dia, ocorrem 100 registros em Minas