O calorão de mais de 38ºC registrado em várias localidades, somado ao feriado prolongado que vem por aí, tem provocado uma corrida às cidades turísticas do Estado com cachoeiras e lagos. Em algumas delas nem é mais possível encontrar vagas em hotéis. A movimentação exige cuidado redobrado. Com o índice de transmissão pelo novo coronavírus em alta, especialistas recomendam evitar passeios por agora.

Tudo indica, porém, que a orientação será ignorada por muita gente. A procura de turistas é tanta que hospedagens já estão recusando clientes. “Só hoje (ontem) foram umas 30 ligações”, conta Ricardo Freitas, responsável por uma pousada em Capitólio, no Sul de Minas, um dos destinos mais procurados no Estado.

Os termômetros na cidade, segundo ele, bateram 37ºC nesta quarta-feira – a mesma temperatura prevista para sábado, conforme o Climatempo. No dia seguinte, no entanto, deve “cair” para 34ºC, mesmo assim permanecendo alta.

Na Serra do Cipó, na região Central, a situação é semelhante: hospedagens com a capacidade lotada. “Seguindo os protocolos, estamos com dez dos 16 quartos e todos já estão reservados”, disse Vinícius Maranhão, que está à frente de uma pousada instalada na região, bastante procurada por conta das cachoeiras.
Ambas as hospedagens garantem adotar normas para combater à Covid-19, dentre elas a disponibilização de álcool em gel e redução do número de pessoas na piscina.
 

Comportamento
Mas a grande preocupação é com o comportamento dos próprios visitantes, afirmam especialistas em saúde. Presidente da Sociedade Mineira de Infectologia (SMI) e membro do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 de BH, Estevão Urbano destaca que a situação da <COLINK>pandemia ainda é crítica</CO>.
“Desde (o feriado prolongado) de 7 de setembro, houve um aumento do número de casos e quase todos são pessoas que voltaram de viagem”, diz o médico, que também atua no Hospital Madre Teresa.
Para quem optar pelo lazer, a ordem é atenção máxima. “Ficar em locais vazios, manter distanciamento mínimo de dois metros entre as pessoas. Usar máscaras, exceto quando estiver se alimentando, além de higienizar as mãos frequentemente e manter os ambientes ventilados”, frisa o infectologista.<EM><QA0>

Fake news
Há preocupação também porque existem notícias falsas circulando na internet indicando que o novo coronavírus não sobrevive a <COLINK><CF35>temperaturas acima de 36°C. 

O medo é que a população, acreditando nessa informação, acabe se descuidando quanto à prevenção. “Não há comprovação científica sobre qual é a temperatura suportada pelo vírus”, explicou Estevão Urbano.

Segundo ele, surtos de Covid-19 foram registrados em cidades brasileiras com calor intenso. Em setembro, Manaus passou a viver um novo crescimento de casos confirmados, exatamente quando as temperaturas batiam 37°C na cidade. [PE_BIOG](Com Cinthya Oliveira)

 

ALÉM DISSO
Depois de registrar mais um recorde histórico de temperatura ontem, com 38,4°C, Belo Horizonte deve permanecer com os termômetros nesse patamar até amanhã. No sábado, o índice deve cair para 33ºC.

“Por conta de uma frente fria que está chegando, aumentando a nebulosidade e propiciando chuvas. No domingo, ela vai estar mais estabilizada sobre o Estado e as temperaturas podem até despencar para abaixo de 30°C, inclusive no feriado”, explicou Cleber Souza, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

As precipitações devem vir acompanhadas de rajadas de vento e granizo. Ainda segundo o meteorologista, a umidade relativa do ar vai melhorar. “A frente fria vai quebrar com essa massa de ar quente e seca, reduzindo as temperaturas e melhorando a umidade do ar. Vai reduzir as queimadas e lavar a atmosfera”, frisou.
As altas temperaturas atingem todo o Estado. A máxima, ontem, foi medida em Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, onde fez 42,8°C.