Responsável por conservar quase 200 anos de história do Brasil Império, o Sobrado do Cartório, na Vila Colonial de Cocais, em Barão de Cocais, região central de Minas, está em reforma.
 
A estrutura danificada pela ação do tempo e pela falta de conservação será um centro cultural. Características originais, perdidas ao longo dos anos, serão recuperadas.
 
“Esse é o único sobrado no núcleo histórico e urbano de Cocais que não ruiu completamente”, diz Marília Angelo Oliveira, secretária de Cultura e Turismo da cidade.
 
O desmoronamento só foi evitado porque em julho de 2008 a prefeitura comprou o imóvel e deu início às intervenções.
 
A primeira etapa consistiu na proteção do que restava de pé, com escoramento das paredes e colocação de um telhado provisório. “Em 2009, conseguimos recursos do Fundo Estadual de Cultura e, com a participação da prefeitura, investimos R$ 780 mil na segunda parte da reforma”, afirma a secretária.
 
Por completo
 
Assoalho, paredes e fiações elétricas estão sendo recuperados. “As tábuas do sobrado são de madeira de garapa. Vamos reaproveitá-las e substituir as que estão muito danificadas”, diz o mestre de obras Alpim Honorato. Para reconstruir paredes, está sendo utilizado o pau a pique, presente em várias construções do século 19.
 
Após o restauro, previsto acabar no início de 2013, a proposta é a de que a casa abrigue o memorial de Barão de Cocais, exposições fixas e temporárias e oficinas.
 
“O sobrado tem valor simbólico, cultural, histórico e arquitetônico. Figuras importantes que contribuíram para o desenvolvimento do Estado passaram por lá. É um patrimônio que mantém viva a história da cidade e de Minas”, diz a arquiteta Carolina Costa Moreira, responsável pelo projeto e pelo acompanhamento da obra.
 
Leia mais na Edição Digital