O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), criticou a atuação da União na gestão da pandemia de Covid-19 no Brasil. Segundo o mandatário, o assunto foi "menosprezado" e faltou "algo mais" no combate ao avanço da doença.

"O governo federal subestimou a periculosidade desse vírus. Deveria, quando nós não sabemos [sobre o vírus], dar mais atenção ao inimigo. Realmente nesse ponto houve, sim, uma deficiência. Algo a mais poderia ter sido feito", afirmou, em entrevista coletiva nesta quinta-feira (8), na Cidade Administrativa.

Conforme Zema, o desempenho do Brasil em questão de número de mortes por milhão de habitantes "não é bom, poderia ter sido muito menor". O chefe do Executivo estadual lamentou as mais de 340 mil vidas perdidas no país e também o fato de que, segundo ele, o coronavírus foi menosprezado pela gestão federal "lá atrás".

"Lamentamos muito que esse inimigo tão perigoso tenha sido menosprezado lá atrás", disse.

Apesar das críticas, o governador amenizou o tom ao reafirmar a dificuldade em enfrentar a pandemia de Covid-19. Segundo ele, "culpar é fácil" e, mesmo em países desenvolvidos, que têm "todos os recursos financeiros que nos faltam", a taxa de óbito foi maior do que no Brasil.

"Culpar é muito fácil. Dar a solução é que é difícil. Países que realmente foram bem na pandemia são raríssimos. E os casos estão muito ligados a países que são tipo uma ilha, Austrália, Nova Zelândia - países que conseguem, realmente, barrar a entrada de pessoas, que não têm fronteiras, esses, sim, conseguiram conduzir de forma adequada", afirmou.

A entrevista completa pode ser vista abaixo. O trecho em que Zema fala sobre a atuação do governo federal pode ser localizado a partir de 34'40''..

Leia mais:
Taxa de transmissão da Covid-19 é a mais baixa desde início das medidas mais restritivas em BH
CMBH aprova PL que coloca academias como atividades essenciais
BH inicia vacinação contra Covid-19 de idosos de 64 anos nesta sexta-feira