A reabertura do Parque Municipal de Belo Horizonte parece estar próxima. A informação é do secretário municipal de Saúde, Jackson Machado. Nesta quarta-feira (20), o titular da pasta afirmou que o local deve voltar a receber visitantes em novembro. 

Mesmo após uma nova flexibilização em abril, quando ocorreu a liberação da reabertura de parques, a área verde no centro da cidade permaneceu fechada por conta de casos de raiva. O primeiro deles foi detectado em um gambá. Por precaução, a PBH decidiu capturar todos os gatos que vivem por lá para que fossem vacinados contra a doença.

“Estamos trabalhando de modo muito árduo para que possamos viabilizar a abertura no mais tardar até meados de novembro. Faltam pouquíssimos animais para serem capturados. E a verdade é que quanto mais animais a gente captura e vacina, mais difícil é encontrar aqueles ainda não vacinados, já que o número é baixo. Cada dez que capturamos, nove já receberam a dose. Então, tem que soltar os nove, vacinar aquele último e sair procurando aqueles que ainda não foram”, disse o secretário, em entrevista concedida à Rádio Itatiaia, nesta tarde. 

Vacinação em BH

Durante essa semana, cães e gatos de BH podem ser imunizados contra a raiva. Até sexta-feira (22), os locais de imunização, assim como um ponto de drive-thru, funcionarão para aplicação das doses das 8h às 16h. Veja aqui os endereços.   

O objetivo da campanha é manter o controle da raiva no município. Na capital, não há registro do vírus em humanos desde 1984, em cães desde 1989 e em gatos desde 1985.

“É uma doença muito grave, o último caso de raiva humana aqui foi em 84 e esse resultado espetacular é consequência da vacinação animal. Então essa imunização é importante para evitar casos, fora os em animais de estimação que são da família. Esperamos que a população entenda a importância e aqueles que não levaram ainda, que o façam o mais rápido possível”, finalizou Jackson Machado. 

A doença 

A raiva é causada por um vírus que acomete mamíferos como cães, gatos, bois, cavalos, porcos, morcegos e também o homem. A doença é transmitida principalmente pela mordida e por arranhões, unhadas ou lambidas de animais doentes.

Leia mais:
Minas confirma 1,8 mil casos e 52 mortes pelo coronavírus nas últimas 24 horas
CPI da Covid pede indiciamento de Bolsonaro, duas empresas e outras 65 pessoas; veja lista
Minas recebe 193 mil doses da Pfizer; essa é a 59ª remessa de vacinas contra a Covid no Estado