Já está valendo em Minas o decreto que determina que os ônibus só podem circular com passageiros assentados. Em Belo Horizonte, a fiscalização está sendo feita por agentes da BHTrans, que monitoram os embarques nas estações e também no Centro de Operações da prefeitura.

A medida adotada pelo governador Romeu Zema (Novo) é mais uma das estratégias para evitar a aglomeração de pessoas e, assim, diminuir o risco de contágio do novo coronavírus. Após o decreto, a empresa que gerencia o trânsito em BH e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (SetraBH) se reuniram para alinhar como a regra seria cumprida.

Ficou definido que a capital terá 90% das viagens que geralmente ocorrem durante a semana, ou seja, haverá redução de 10% de ônibus circulando na cidade durante a quarentena. Desde que o distanciamento social foi sugerido no município, o número de passageiros transportados por dia caiu de 1 milhão e 200 mil para 530 mil. 

9a44a63a-47ae-4e2f-85d9-3e665ea6a85e.jpg
Vários coletivos rodaram vazios na manhã desta terça-feira

Segurança

De acordo com o SetraBH, os motoristas foram orientados para não deixar ultrapassar o limite de passageiros sentados em cada viagem. "Recomendamos às empresas flexibilizarem o horário de seus funcionários como forma de evitar concentração de pessoas nos horários de pico nas estações", informou. 

Além disso, o sindicato pede para que os passageiros também tenham "um pouco mais de paciência, aguardando o ônibus seguinte para fazer a sua viagem sentado e em segurança". O sindicato informou, ainda, que diariamente vai analisar a evolução da situação dos coletivos para definir a operação nos próximos dias.

"A entidade destaca que ônibus reservas estarão à disposição nas estações de integração BHBUS (Pampulha, Venda Nova, Vilarinho, São Gabriel, Diamante e Barreiro) prontos para realizar viagens extras, se necessário", garantiu.

Leia mais:
Com novas determinações, empresas de call center em BH poderão adotar teletrabalho
Teste para a Covid-19 dá negativo em idoso que morreu no hospital Vila da Serra
Mariana restringe entrada na cidade por causa do novo coronavírus