A passagem de ônibus em Belo Horizonte vai ficar mais cara no início de 2016. A BHTrans divulgou no fim da tarde desta quarta-feira (30) que o bilhete para o transporte público urbano vai passar a custar R$ 3,70 a partir do dia 3 de janeiro. Um aumento de 8,24% em relação aos R$ 3,40 cobrados atualmente. Com o aumento, a passagem na capital tem alta de 32,14% em um ano somados os três reajustes.

Segundo o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH), o aumento ocorre devido as perdas das concessionárias em 2015 que foram de 9,16%.

De acordo com o Setra-BH, o índice foi apurado com base na alta dos custos com óleo diesel, pneus, veículos, salários e benefícios de motoristas e agentes de bordo. Ainda assim, alega o sindicato, o percentual ficou abaixo da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC ), de 10,97%, nos últimos 12 meses.

Atualmente, 80% das linhas se enquadram nas de tarifa de R$3,70, 18% nas de tarifa de R$2,65 e 2% nas de tarifa de R$0,85.

Serviço Suplementar

Também as tarifas das linhas do transporte suplementar de Belo Horizonte terão seus valores reajustados em 8,24% a partir de 03/01/2016: a tarifa de R$ 2,45 passa para R$ 2,65, a de R$2,75 passa para R$ 3,00 e a tarifa de R$3,40 passa para R$3,70.

Táxi-Lotação

A tarifa do serviço de táxi-lotação, em operação nas avenidas Afonso Pena e do Contorno, passa de R$3,75 para R$4,05.

As novas tarifas são as seguintes:
• Linhas perimetrais, diametrais, semi-expressas e também do Move: R$3,70.
• Tarifa de integração com o metrô: R$3,70;
• Linhas circulares e alimentadoras (ônibus na cor amarela): R$2,65;
• Linhas de vilas e favelas (microônibus na cor amarela): R$0,85;
• Linha Executiva SE01(Savassi/Cid. Administrativa): R$ R$6,90;
• Linha Executiva SE02(Buritis/Savassi): R$5,55.

Segundo o promotor Eduardo Nepomuceno, desde 2014 o Ministério Público (MP) já entrou com sete ações na Justiça questionando os novos preços. Na última, apresentada em dezembro, solicita que o reajuste agora se limite a inflação acumulada desde agosto. Naquele mês, de acordo com Nepomuceno, já havia sido aplicado um percentual de 9,67%, que entrou em vigor em outubro.

"No final de 2014, a BHTrans e o Setra fizeram uma alteração no contrato, que já prevê reajuste de 12 em 12 meses, para que o aumento considerasse a inflação dos últimos 24 meses. Nesse caso, o cálculo saiu de R$ 2,80 para R$ 3,10. Porém, no nosso entendimento, o valor correto seria ir para R$ 2,90 na ocasião. No meio deste ano fizeram outra revisão, alegado desequilíbrio contratual. Também somos contra, porque deveria apurar com rigor o sistema de bilhetagem para saber se isso de fato ocorreu”, explicou Nepomuceno.

Paschoalin ressalta que o reajuste de agosto não pode ser comparado ao do fim do ano, por ter se tratado de recomposição da planilha de custos, em função do desequilíbrio econômico provocado pelo impacto maior do que o previsto na operacionalização do Move.

Cálculo do reajuste das tarifas de ônibus de BH

O reajuste anual das tarifas de ônibus em Belo Horizonte é calculado segundo fórmula paramétrica prevista nos contratos de concessão. Esta fórmula compreende a variação anual dos preços de cinco grandes itens de custo do sistema (óleo diesel, rodagem, veículos, mão-de-obra operacional, e despesas administrativas), apurados e publicados pela Fundação Getúlio Vargas, Agência Nacional de Petróleo (ANP) e IBGE.