Foi entregue, nesta segunda-feira (23), a passarela de pedestres da nova ponte da avenida Alberto Flores, que foi destruída em janeiro deste ano após o rompimento da barragem de rejeitos da Vale, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo a mineradora, a estrutura possibilita a travessia de pedestres sobre o leito do ribeirão Ferro-Carvão com segurança, já que a passarela é independente da ponte para veículos. 

Pintada nas cores da bandeira da cidade (vermelho, verde e branco), a estrutura metálica de 55 metros de extensão conta com iluminação e grades de proteção. 

"A passarela simboliza a conclusão dos trabalhos na ponte, que teve o trânsito de veículos liberado nos dois sentidos no dia 10 de abril, restabelecendo, com segurança, o acesso das comunidades Parque da Cachoeira, Córrego do Feijão, Melo Franco, Marques, Aranha, Palhano, Córrego Ferreira e Casa Branca, dentre outras, à área central de Brumadinho", completa a nota divulgada pela Vale. 

passarela brumadinho
Com 55 metros de comprimento, a passarela tem iluminação e grades de proteção

Menos de quatro meses após ser entregue à população, a ponte precisou passar por reparos no início de agosto, quando parte da estrutura apresentou danos. Na época, a empresa informou que o problema causado na placa de concreto não representava nenhum risco para a estrutura da ponte, liberando o acesso no mesmo dia. 

Outras intervenções

A Vale destacou ainda que a região da ponte da avenida Alberto Flores também recebeu outras intervenções para melhorar o trânsito na região. "Em uso desde o dia 13 de agosto, o acesso rodoviário de 3,6 quilômetros de extensão, implantado onde funcionava o antigo ramal ferroviário da Mina Córrego do Feijão, viabilizou a redução significativa do tráfego de veículos pesados nas vias locais, melhorando também a segurança para as comunidades. A via é exclusiva para os veículos usados nas obras, especialmente para o manejo de rejeitos. O acesso começa próximo à ponte da Alberto Flores e vai até a área da mina", explica. 

A mineradora explicou que o trabalho de remoção dos rejeitos é feito de forma cuidadosa e planejada em conjunto com o Corpo de Bombeiros. "Os rejeitos removidos são vistoriados pelos Bombeiros e, após liberados, são depositados em uma área dentro da mina Córrego do Feijão, previamente autorizada pelos órgãos competentes", conclui. 

Leia mais:
Ponte construída pela Vale em Brumadinho passa por manutenção após dano estrutural
Vale conclui estação de tratamento que limpará água antes de devolvê-la ao rio Paraopeba
Destruída em rompimento, ponte em Brumadinho será entregue nesta quarta