Importante projeto que visa a reduzir os crimes e, principalmente, amparar as vítimas, a Patrulha de Violência Doméstica da PM será expandida em Minas. Atualmente, o programa está presente em 31 cidades. O número de municípios que passarão a contar com o serviço, no entanto, não foi informado. Militares terão um treinamento específico para atuar nos casos.

Pelo programa, após receber as denúncias, os agentes de segurança partem em busca da identificação do agressor e fazem visitas na casa das mulheres. Os policiais apresentam a Lei Maria da Penha e as medidas protetivas a que elas têm direito. 

Treinamento

Além disso, para reduzir as estatísticas, a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) atua na integração entre as polícias Militar e Civil. A pasta irá promover, em novembro, um treinamento para capacitar os agentes públicos no combate à violência doméstica.

A capacitação visa a melhorar o contato com as vítimas das agressões, com mais amparo psicológico. A informação é do titular da Sejusp, general Mário Lúcio Alves de Araújo. “É para refinar o treinamento dos policiais no trato dessas questões, preparando-os em melhores condições para entender as nuances e as características desse tipo de crime”, explicou.

Chefe da Sala de Imprensa da Polícia Militar, a capitão Layla Brunella diz que a qualificação é válida. “Qualquer esforço para apoiar as ações que já desenvolvemos é bem-vinda. Nós já buscamos essas medidas e com o apoio da secretaria isso amplifica nossa capacidade”, afirma.

Leia Mais:

Menos de 10% das cidades mineiras têm delegacias específicas para mulheres agredidas

Homem descumpre medida protetiva e é preso em BH; é o terceiro caso em menos de 24 horas