Uma universitária, de 21 anos, foi vítima de estupro durante uma festa de rodeio no Centro de Eventos de Lavras, no Sul de Minas. O suspeito foi preso em flagrante e encaminhado ao presídio da cidade. O crime ocorreu na manhã de domingo (19).

Informações do Boletim de Ocorrência registrado pela Polícia Militar indicam que a aluna da Universidade Federal de Lavras (Ufla) estava trabalhando no bar do camarote do evento e teria sido abusada por quase 20 minutos quando foi ao banheiro, por volta das 6h30.

Ela contou aos militares que o homem a trancou no banheiro, após agredí-la. Para conseguir se soltar, a jovem mordeu a mão do agressor, fugindo em seguida. O suspeito, de 22 anos, foi preso na mesma manhã, no bairro Colina da Serra.

Ainda segundo a PM, ele seria da cidade de Franca, em São Paulo, e teria ido para a cidade, há uma semana, para trabalhar na montagem da estrutura do rodeio.

Em depoimento, o rapaz confessou que cometeu o estupro, mas negou que tenha espancado a jovem, que ficou muito machucada. A universitária foi encaminhada à Unidade Regional de Pronto Atendimento (URPA) para fazer exames e ser medicada.

A organização do evento, através de uma nota oficial, informou que tanto ambos são funcionários de empresas terceirizadas contratadas para prestarem serviços no evento, e que o caso aconteceu no término da festa. No entanto, a vítima estaria recebendo todo o apoio médico, psicológico e jurídico.

Leia a nota na íntegra

A Benassi & Souza Eventos, empresa organizadora do Lavras Rodeo Festival, diante do suposto fato ocorrido no início da manhã de hoje, 19 de maio, quando uma funcionária de uma empresa terceirizada foi vítima de suposto estupro dentro do recinto do evento, esclarece que o fato não ocorreu durante o evento; que o tanto suposto autor quanto a vítima eram contratados de empresas terceirizadas que prestavam serviço à organização do evento; que tanto vítima quanto autor só se encontravam no interior do recinto por se tratarem de prestadores de serviços das empresas terceirizadas responsáveis pela boate e pela estrutura, respectivamente; que no momento do ocorrido o efetivo de segurança realizava o trabalho final de varredura nas áreas destinadas ao público, que já havia se retirado do recinto; que o fato ocorreu após a vítima ter recebido seus proventos pelos serviços prestados no bar da boate que funcionava anexo aos camarotes; que o efetivo de segurança atendia perfeitamente aos requisitos exigidos quanto ao número de profissionais; que a empresa contratada pela organização do evento é devidamente credenciada pela Polícia Federal e com vasta experiência em eventos de grande porte; que o evento transcorreu em perfeita ordem durante os três dias da festa; que ao longo dos 23 anos de história do evento a empresa sempre primou pela segurança do público e pela qualidade dos serviços prestados; que prestou e continuará prestando todo o apoio necessário à vítima; que a Polícia Militar e a Polícia Civil tiveram atuação exemplar na elucidação dos fatos que culminaram com a prisão do suposto autor.