Novas regras para as Unidades Municipais de Educação Infantil (Umeis) da capital. A partir de 2018, crianças de 2 anos serão atendidas apenas em turno parcial, de 7h30 às 11h30 ou de 13h às 17h. Nos últimos anos, os alunos desta faixa etária que ingressavam na rede tinham direito a período integral nas instituições, de 7h às 17h30. Com a mudança, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) espera criar 10 mil vagas para atender à fila de espera, que conta com 37 mil crianças de 0 a 5 anos.

Para ampliar as oportunidades, a PBH aproveitará salas de 31 escolas, que já começam a ser adaptadas para o ano que vem. Nessa nova grade de horários, os tempos de permanência nas unidades também foi alterado em relação ao que vinha sendo praticado. O turno integral terá uma hora a menos. Já no parcial, a redução será de 30 minutos.

As mudanças, conforme a Secretaria Municipal de Educação (Smed), visam atender a uma resolução do Conselho Municipal de Educação (CME) que recomenda que o período nas escolas não ultrapasse dez horas diárias para “preservar o direito da criança em ter convivência familiar e comunitária”.

A secretária da Smed, Ângela Dalben, garante, porém, que os alunos de 2 anos que já estudam nas Umeis em tempo integral terão o período mantido. “Estamos abrindo oportunidades para novas famílias, justamente para que crianças que não estavam nas escolas de educação infantil possam usufruir do sistema”, afirma.

Remanejamento

Atualmente, Belo Horizonte tem 131 Umeis e outras 26 escolas que oferecem o ensino infantil na cidade. Dessas, 11 estão em regiões de vulnerabilidade social e seguirão com as aulas em período integral.

Hoje, há uma demanda de 37 mil vagas na capital. As 10 mil novas serão ofertadas em espaços ociosos de escolas municipais. As obras de adaptação começam neste mês e incluem reforma de banheiros, compra de móveis e construção de parquinhos. O investimento é de R$ 5 milhões.

A secretária defende que a convivência de crianças pequenas com estudantes mais velhos ocorrerá de forma cuidadosa. “Esse convívio é possível e saudável. O que estamos fazendo não é novidade, já acontecia em outras escolas. Teremos, então, 385 instituições oferecendo educação infantil”, disse Ângela Dalben.

Mudanças Umei