A conta de luz paga pelos consumidores de Belo Horizonte pode ficar mais barata. A prefeitura anunciou, na manhã desta quarta-feira (23), que a taxa de iluminação pública do município, incluída no boleto mensal de energia, poderá ficar 10% mais baixa. 

Para que a redução ocorra, no entanto, a Câmara Municipal precisa aprovar um projeto de lei assinado pelo prefeito Alexandre Kalil (PHS) nesta manhã. A proposição foi apresentada durante a divulgação do balanço dos trabalhos da concessionária BHIP. A empresa assinou contrato com o executivo municipal em 2017 para gerir a iluminação pública do município. 

Desde então, as regiões Norte, Venda Nova, Nordeste, Barreiro, Leste tiveram todas as lâmpadas de mercúrio dos postes trocadas para equipamentos de led. Cerca de 50% dos pontos de iluminação do Centro também passaram por manutenção. Para a execução do serviço, a PBH informou que já investiu cerca de R$ 80 milhões.

De acordo com Fuad Noman, secretário municipal de fazenda, atualmente o valor médio da taxa de iluminação pública é de 8% do custo total do boleto, podendo ocorrer variação no percentual de acordo com o consumo. A redução, conforme o secretário, se deu pela diminuição de 10% no gasto de energia da cidade. A justificativa para a economia é a mudança para o sistema de led. 

“É um fato histórico e de coragem. Em momento de crise o município conseguir transferir um benefício alcançado à população”, pontuou o secretário. Antes dos trabalhos da empresa, a PBH informou que o consumo de energia na capital era de 361.218,2 kWh. Após as trocas nas luminárias, houve redução para 334.795,0 kWh. 

Led

De acordo com a BHIP, a capital mineira tem 180 mil pontos de energia em vias públicas. Destes, cerca de 72 mil já passaram por mudanças ao novo modelo. Conforme a empresa, as lâmpadas de led, que estão sendo instaladas na cidade, têm taxa de falha de 6%.