Os 61 clubes de Belo Horizonte serão vistoriados pela vigilância sanitária a partir desta quinta-feira (11). As equipes testarão as condições de piscinas, vestiários, lanchonetes e outros espaços de convivência até o dia 15 de março. A primeira instituição da capital a passar pela inspeção foi o Pampulha Iate Clube (PIC), próximo à lagoa. 

A operação, chamada Verão Saudável, busca garantir a segurança dos frequentadores e evitar doenças que podem ser transmitidas em contato com a água, como micoses, conjuntivites, e sinusites. Os 70 fiscais sanitários também verificarão as condições de higiene dos espaços de refeição e a qualidade, o acondicionamento e a validade dos alimentos comercializados. 

Inicialmente, a fiscalização terá caráter educativo. Após levantar as irregularidades, a vigilância recomendará que os clubes façam as adequações. Mas, caso as mudanças não sejam realizadas até a primeira quinzena de março, as instituições poderão ser penalizadas com multas que vão de R$ 372 a R$ 14.916. 

Segundo o gerente de vigilância sanitária da prefeitura, Wagner Cândido, os clubes que desobedecerem as recomendações podem, inclusive, ser interditados. "As irregularidades mais comuns são a falta de tratamento adequado da água da piscina, ou seja, a ausência de cloro, mas isso é passível de correção. Com isso, nós temos as penalidades, que são graduais, de acordo com a infração", afirma.