Vinte e seis estabelecimentos foram interditados pela Prefeitura de Belo Horizonte entre sexta-feira (27) e domingo (29), por não respeitarem as normas referentes ao enfrentamento à epidemia de Covid-19. Além disso, dois bares foram multados em R$ 17.614,17 por descumprimento da interdição, segundo a Subsecretaria de Fiscalização (Sufis). 

Desde o dia 19 de março, a administração municipal realizou 5.392 vistorias fiscais em estabelecimentos que estariam descumprindo os decretos relativos à Covid-19 e interditaram 170 estabelecimentos que insistiram em manter o local aberto em desacordo com a legislação. Foram ainda aplicadas 23 multas por descumprimento de interdição.

“A Sufis reitera que já intensificou a fiscalização e aumentou as equipes volantes, compostas por fiscais, agentes de campo e guardas municipais, para autuar os estabelecimentos que descumprirem os protocolos sanitários”, afirmou a subsecretaria por nota, acrescentando que está monitorando festas clandestinas programadas em redes sociais.

De acordo com o protocolo apresentado pela prefeitura a bares, restaurantes e lanchonetes, o estabelecimento deve restringir a capacidade máxima do local a uma pessoa a cada 5m² da área total, incluindo os funcionários. Deve-se atender apenas a clientes sentados e o uso de máscara é obrigatório para todos, sejam clientes ou funcionários. Em Belo Horizonte, o funcionamento deve ser encerrado às 22h. 

Mas o que tem se observado tanto na capital mineira quanto nas outras cidades da Grande BH são diversos estabelecimentos que descumprem as regras, com atendimento a pessoas em pé, aglomerações e funcionamento que extrapola o horário determinado pela prefeitura para o fechamento. 

Os moradores da cidade podem fazer denúncias sobre locais que não respeitam as normas colocadas pelo poder público por meio da Ouvidoria da PBH. Também é possível acionar a administração municipal pelo 156 ou a Polícia Militar pelo 190.