Belo Horizonte pode decidir nesta quarta-feira (14) se autoriza a volta às aulas presenciais no ensino médio. O Comitê de Enfrentamento à Covid fará uma reunião para avaliar a possibilidade. A expectativa é que a retomada para esses alunos ocorra “muito em breve”, adiantou o secretário Municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto.

No entanto, para viabilizar o retorno, os índices epidemiológicos precisam estar favoráveis. O chamado Matriciamento de Risco (MR) é a principal estatística analisada pelo grupo de infectologistas. O dado leva em consideração o número médio de transmissão por infectado (RT), a taxa de letalidade e a quantidade vacinados. 

Atualmente o MR está em 76% – quanto mais alto, maior o nível de flexibilização. Neste momento, apenas as crianças menores de 12 anos podem frequentar as escolas. “O dado ainda é insuficiente para o retorno do ensino médio, porque o critério que usamos é 81%. Mas temos uma possibilidade, porque o MR leva em consideração o desvio padrão, que é de 5%”, afirmou Jackson Machado.

Por outro lado, o que não deve acontecer tão cedo é a volta das torcidas aos estádios de futebol. Isso só deve ocorrer após a retomada das aulas presenciais para todos os alunos da capital. Segundo o secretário, estudos internacionais apontam que, para um retorno seguro do público, a incidência da Covid-19 para cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias deve ser inferior a 20 casos. Atualmente, está em 290. 

“É muito temerário voltar com o público em estádio de futebol agora. Não voltamos com o ensino médio exatamente por esse temor de transmissão comunitária. Certamente (a volta da torcida), não acontecerá antes da liberação das escolas”, acrescentou.

De acordo com Jackson, o ensino é a prioridade da PBH atualmente. “Sabemos que o não comparecimento à escola traz inúmeros problemas para os alunos, desde pedagógicos até psicológicos e de sociabilização”.

Números
Em meio à expectativa, um alerta. Na noite de ontem, a PBH divulgou o boletim epidemiológico da pandemia. Os três indicadores que monitoram a Covid em BH subiram, na comparação com segunda-feira, e estão no nível amarelo. Ontem, o RT atingiu a marca de 1. A taxa de ocupação dos leitos de UTI Covid chegou a 63,8%. No caso das enfermarias, 52,1% das vagas estão ocupadas.

Leia mais:
Torcida não volta aos estádios antes dos estudantes às salas de aula, diz secretário de Saúde de BH
BH precisa de 2 milhões de doses para concluir a campanha de vacinação contra Covid
Indicadores da pandemia da Covid-19 chegam ao nível de alerta amarelo em BH; confira as taxas