A Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) começará, nos próximos dias, a entrar em contato por telefone com os 17 mil alunos cadastrados no programa Academia da Cidade, que é realizado em 78 endereços da capital mineira. A intenção é avaliar quem pode voltar às aulas e realizar um novo planejamento de turmas. A data do retorno ainda não foi divulgada.

Porém, os idosos, principais beneficiados pelo programa, não poderão voltar às aulas nesse primeiro momento. Em uma nota técnica publicada esta semana, a SMSA informou que poderão realizar as atividades apenas os alunos regulares que não fazem parte dos grupos de risco para a transmissão do novo coronavírus.

A lista de grupos de risco inclui pessoas com 60 anos ou mais, gestantes, o puérperas (até 2 semanas após o parto ou abortamento) e pessoas com doenças crônicas, como pneumopatias, cardiopatias, diabetes, hipertensão, entre outras. Pessoas com obesidade (IMC ≥ 40kg/m2) também não poderão participar das aulas na primeira fase de retomada do programa.

“O objetivo do contato telefônico é informar sobre a reabertura das Academias da Cidade e indagar sobre interesse em retomar as aulas presenciais. Caso o usuário tenha interesse em retornar às aulas, neste momento, agendar reavaliação”, diz a nota técnica. Deverão ser realizados até três tentativas de contato em horários diferentes e a reavaliação será presencial, com uso de máscara obrigatório.

Os alunos já cadastrados que fazem parte dos grupos de risco poderão voltar às aulas na fase 2 do programa, ainda sem data definida. Os novos alunos só poderão ingressar no programa na fase 3.

A secretaria ainda reforça que histórico de exame positivo de Covid-19 não é considerado fator de proteção individual para nova infecção, não sendo indicativo para um usuário ser inserido em fase diferente. 

Regras

A capacidade de cada turma depende do espaço onde a aula é ministrada, considerando uma pessoa a cada sete metros quadrados. “Visando manter, da melhor forma possível, o acesso de usuários cadastrados, orienta-se a diminuição no tempo de aula (caminhada e tempo de salão) e consequente aumento do número de turmas”, informa a nota.

A secretaria ainda recomenda que haja um intervalo de 20 minutos entre as turmas para que haja um fluxo organizado de entrada e saída de alunos, além de tempo necessário para higienização do espaço. As aulas terão 30 minutos.

"O profissional deverá receber os usuários na Academia da Cidade, questionando sobre sintomas respiratórios, conferindo o uso da máscara e orientando quanto à higienização das mãos com fricção de toda a superfície com álcool a 70% por 20 a 30 segundos, ou com água e sabão líquido com fricção por 40 a 60. O procedimento de higienização das mãos deverá ser realizado também antes da saída", orienta a nota técnica.