Um inquérito foi instaurado pela Polícia Civil (PC) para investigar a morte de um menino de apenas 5 meses, ocorrida na última terça-feira (5) em uma creche do bairro Água Branca, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo informações repassadas pela prefeitura do município, a instituição não tinha autorização de funcionamento e sequer havia solicitado a regularização de seu funcionamento. 

Conforme o registro da Polícia Militar (PM), a corporação foi acionada por volta das 11h20 na Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro, para onde as funcionárias da escolinha o levaram. A médica contou aos policiais que o bebê já deu entrada com parada cardiorrespiratória, sendo que foi realizado o procedimento de reanimação sem sucesso. 

CRECHE CONTAGEM
As funcionárias e dona do berçário particular deverão ser ouvidas pela polícia nos próximos dias

Após a constatação da morte da vítima, os militares se deslocaram para a instituição de ensino, onde a proprietária relatou que cuida de dez crianças com o auxílio de outras profissionais. Em seu depoimento, a dona contou que sempre faz o mesmo procedimento todo dia, tendo alimentado a criança com uma mamadeira por volta das 10h50, aguardou que ela arrotasse e, em seguida, a colocou no berço, tendo ficado próximo. 

Porém, ainda na versão da proprietária da escolinha, em determinado momento ela teria saído rapidamente do cômodo e, quando retornou, percebeu que o bebê estava com as mãos frias e sem reação, levando-o imediatamente para a UBS. Abalado, o pai da criança disse apenas que tinha o hábito de deixar o filho, mas que no dia foi avisado por telefone do ocorrido e correu para a unidade de saúde. 

De acordo com a PC, a instituição tomou conhecimento do ocorrido na quarta-feira (4), tomando as providências iniciais com a instauração do inquérito. Agora, os próximos passos da investigação serão colher os depoimentos dos funcionários da creche. Além disso, será necessário aguardar a conclusão do laudo da necrópsia, que tem um prazo de 30 dias para ser concluído. 

Irregularidade 

Procurada pela reportagem do Hoje em Dia, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), informou que a creche em questão não tinha a "autorização de funcionamento para atendimento à Educação Infantil e nem havia solicitado a regularização de seu funcionamento". "É importante destacar a importância de os pais, responsáveis e comunidade estarem atentos às instituições de Educação Infantil verificando se as mesmas possuem a Autorização de Funcionamento, que deve ficar exposta na secretaria de todas as instituições. Caso a instituição não tenha a documentação exigida, que seja denunciada para averiguação e orientação", completa. 

Ainda segundo a Seduc, a escolinha será reportada ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) para as decidas providências. "As creches que não possuem autorização são notificadas para comparecer à Seduc, na Rua Coimbra, 100, Santa Cruz Industrial, para buscar as informações sobre o processo de regularização. Contagem possui hoje em funcionamento regular 55 creches particulares, 24 conveniadas com a Seduc e 35 Unidades Municipais de Educação Infantil", conclui a pasta. 

Ouvido pela reportagem, o advogado da creche, Humberto Pedro da Silva Júnior, chegou a afirmar que o estabelecimento estava com as documentações em dia. Após a Seduc negar a informação, ele foi novamente procurado, dizendo que a informação passada pela proprietária é de que o local só não seria regularizada como escola infantil, mas apenas como "cuidadoria infantil". "Essa informação é nova para mim, então eu vou ter que apurar e assim que tiver um posicionamento repasso", disse. 

"Infelizmente é uma situação extremamente delicada para todas as partes, mas não mais para a família. A dona da creche está devastada, não está nem conseguindo verbalizar. Mas não podemos entrar em mais detalhes até que o laudo do IML seja concluíddo e determine a causa da morte. Nós nos colocamos à disposição para auxiliar a família", concluiu Humberto.  

Leia mais:
Bebê morto em creche do Barreiro sufocou com o próprio vômito; PC indicia dona e cuidadoras
Pais de bebê que morreu após passar mal em creche registram ocorrência em busca de explicações
Morre bebê asfixiado em creche de Poços de Caldas
Bebê de 11 meses tem crânio trincado após queda em creche de Pouso Alegre