Principal política do governo federal para ajudar a população afetada pela crise econômica gerada pela pandemia do novo coronavírus, o auxílio emergencial de R$ 600 está sendo pago a trabalhadores informais e pessoas de baixa renda, inscritos do cadastro social do governo e no Bolsa Família.

Mas em Belo Horizonte, a Polícia Civil identificou um grande número de pessoas com dificuldades para receber o benefício, porque perderam ou não têm documentos. A corporação então se juntou à Cruz Vermelha para realizar uma ação que vai emitir, de graça, até a próxima sexta-feira (22), 500 carteiras de identidade para esse público.

Quem participa do mutirão também recebe uma cesta básica. "Nós identificamos que essa população não tem acesso ao auxílio do governo e está sofrendo as consequências da pandemia, então achamos muito relevante esse auxílio da cesta básica para que a gente possa dar um alento a essas famílias", explica Bernardo Eleazar, diretor de projetos da Cruz Vermelha.

O pedreiro José Tarcísio Magalhães Filho foi tirar o documento e ficou ainda mais feliz com a ajuda extra que recebeu para colocar comida na mesa. "Vai ajudar bastante e chegou em boa hora, porque nessa pandemia ninguém tá tendo serviço, tá todo mundo com medo de pegar essa doença".

Ação PC e Cruz Vermelha
José Tarciso Magalhães Filho

Marco Rodrigues Vieira, que é colega de profissão do senhor José Tarcício, também veio em busca da identificação. "Tirei minha identidade e peguei minha cesta básica. A gente tava precisando e veio numa hora boa".

Ação PC e Cruz Vermelha

Marcos Rodrigues Vieira 

Os interessados devem fazer o agendamento por e-mail (iimgcovid19@gmail) e quem não tem acesso à internet precisa procurar o serviço de assistência social do Estado. 

Ainda segundo Eleazar, o atendimento foi programado para evitar aglomerações no local e segue as orientações dos órgãos de saúde. "Vamos disponibilizar um profissional enfermeiro, que vai orientar toda a equipe de colaboradores do instituto sobre medidas sanitárias e preventivas essenciais para a prevenção da Covid-19". 

A manicure Flávia Martins Raimundo estava precisando do documento com urgência e foi atendida nesta quarta-feira (20). "Tá difícil para todos e veio em boa hora com certeza". 

Ação PC e Cruz Vermelha
Flávia Martins Raimundo

Quem tem direito ao auxílio emergencial

O benefício é pago a trabalhadores informais, desempregados, contribuintes individuais do INSS e MEIs. Mas, para receber, segundo o governo, é preciso estar enquadrado em uma das condições abaixo:

- Ser titular de pessoa jurídica (Microempreendedor Individual, ou MEI);
- estar inscrito Cadastro Único (CadÚnico) para Programas Sociais do governo federal até o último dia dia 20 de março;
- cumprir o requisito de renda média (renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa, e de até 3 salários mínimos por família) até 20 de março de 2020;
- ser contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social.

Além disso, todos os beneficiários deverão:

- Ter mais de 18 anos de idade e CPF ativo;
- ter renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50);
- ter renda mensal até 3 salários mínimos (R$ 3.135) por família;
- não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018.