Uma tonelada de cabos e outros equipamentos da rede elétrica - a maior parte fruto de furtos contra a Cemig - foi recuperada pela Polícia Civil (PC) em três estabelecimentos localizados na região Central de Belo Horizonte e que atuavam na receptação dos materiais furtados. O resultado da operação foi apresentado pela corporação nesta terça-feira (19). Os condutores de energia, transformadores e reguladores de tensão estão entre os equipamentos mais visados pelos infratores.

Conforme nota divulgada pela Cemig, a empresa está ampliando, juntamente com a PC, a atuação no combate ao furto destes equipamentos, delito que causa perdas à estatal e transtornos à população, já que os crimes acabam causando interrupção no serviço de energia. Para se ter ideia, só desde dezembro do ano passado a companhia registrou 41 furtos na rede subterrânea na Região Metropolitana de Belo Horizonte, que resultaram em um prejuízo de cerca de R$ 760 mil.

O gerente de Manutenção da Distribuição Metropolitana da Cemig, Emmanuel José Bernardes, explica que a empresa tem estudado formas para reduzir ou inibir a ação de vândalos. “O furto de cabos e equipamentos impacta fortemente a população, afetando a segurança quando diz respeito aos circuitos da rede de distribuição, além da continuidade e qualidade no fornecimento de energia quando se refere a equipamentos. Por isso, a Cemig tem buscado apoio da forças de segurança pública para combater essa prática lesiva”, afirma.

Ladrões poderiam morrer durante o crime

A Cemig aproveitou a divulgação do resultado da operação para alertar os riscos existentes para aqueles que cometem esse tipo de crime. Segundo a companhia, o furto deste tipo de equipamento pode causar acidentes graves, morte ou sequelas irreversíveis para quem tentar o furto dos equipamentos e estruturas da rede subterrânea de energia.

“A tensão nos cabos da rede subterrânea podem chegar a 13,8 mil volts. A intervenção de pessoas não autorizadas, além de causar falta de energia para a população da região, pode provocar acidentes gravíssimos e até mesmo a morte do infrator que comete esse tipo de furto”, avisa Bernardes.

A empresa fala ainda sobre uma outra prática que tem se disseminado entre pessoas em situação de rua e que oferece um grande risco à segurança das mesmas: a utilização das câmaras subterrâneas da Cemig para guardar objetos. O gerente de Manutenção da Distribuição Metropolitana da Cemig ressalta que somente pessoas devidamente autorizadas podem entrar nesses locais de acesso restrito. “Se alguém entrar nesse local, pode sofrer acidentes graves e até mesmo morrer”, afirma.

A Cemig também destaca que qualquer um que flagrar pessoas não autorizadas fazendo uma intervenção nas câmaras subterrâneas deve acionar a Polícia Militar pelo telefone 190.

Leia mais:
Homem sofre descarga elétrica ao tentar furtar cabos; parte da região Centro-Sul de BH ficou sem luz
Centro de Saúde do Tirol é arrombado e fica sem energia; alguns serviços estão suspensos
Homem é preso pela 18ª vez por roubar fios de cobre em BH