Após ficar mais de 24 horas preso em uma tubulação de água de pluvial, o gato da aposentada Tânia Mara Teixeira Santana, de 64 anos, finalmente foi resgatado, na tarde desta terça-feira (2). Alemãonzinho, como o gato é chamado, fez a estripulia na manhã dessa segunda-feira (1º). Tânia pensou, no primeiro momento, que o bichinho logo sairia, assim como os outros quatro gatos dela já conseguiram antes. “Mas graças a Deus, deu tudo certo”, desabafou. O pedreiro da aposentada, Gleimisson Gonçalves, de 20 anos, foi quem salvou o bichano.
 
Ela contou que, por volta das 10h de segunda-feira, o gato escalava  as paredes da residência, localizada à avenida Brasil, no bairro Santo Efigênia, região Leste de Belo Horizonte. O gato se assustou com um barulho e correu para a tubulação de uma loja vizinha, que tem saída na rua Ceará. Um dos canos estava destampado e Alemãozinho caiu nele. 
 
Tânia começou a chamar pelo gato, que miava em resposta. “Foi anoitecendo e ele não voltava, até que não escutei mais o seu miado. A gente não sabia que ele tinha ficado preso. Quando amanheceu, o vizinho enfiou o celular dentro da tubulação e tirou uma foto. Vimos que ele tinha ficado com a cabeça presa na bifurcação de um cano”, contou.
 
A aposentada acionou o Corpo de Bombeiros para fazer o resgate. Como a corporação informou que não tinha nenhuma viatura para fazer o atendimento no momento, ela não teve dúvidas em pedir o socorro do pedreiro Gleimisson, que trabalha numa obra em sua casa. “Deu trabalho, mas consegui tirar o gato de lá. Fiquei feliz em poder ajudar”, disse Gleimisson.
 
Para fazer o resgate, o pedreiro precisou quebrar parte da parede da loja. “Mas já vou pedir para arrumar a parede logo”, reforçou Tânia.
 
O gatinho foi levado para o veterinário, que constatou hipotermia. “Ele está no oxigênio e enrolado em uma manta. O veterinário disse que ele já teve uma melhora. Se Deus quiser, ele vai ficar bem”, disse Tânia.