Pela primeira vez, o número de ônibus que chegam na rodoviária de Belo Horizonte é maior do que os que saem da cidade no Carnaval. Entre esta sexta-feira (1°) e a quarta-feira de cinzas (6) são 4.184 veículos, enquanto os que saem da capital no mesmo período, são 4.101. Considerando somente os primeiros dias de folia - estas sexta, sábado (2) e domingo (3) -, são 2.060 ônibus trazendo 45.729 turistas para BH. 

RodoviáriaRodoviária de BH nesta sexta-feira (1°) de Carnaval 

Um destes ônibus trouxe as irmãs Romaísa e Raíssa Cabral, de 22 e 19 anos, e a amiga Amanda Duarte, de 20, para curtir a festa em BH pela primeira vez. Atraídas pela fama do Carnaval da cidade, elas decidiram vir pela pela primeira vez este ano trazendo na mala as fantasias que vão usar. 

"O Carnaval aqui está ficando famoso, todo mundo fala que tem muita gente e muitos blocos na rua. Ainda não sabemos qual bloco vamos hoje, mas amanhã o dia vai começar com o Então, Brilha", conta Amanda. 

Ecléticas, elas contam que querem aproveitar todos os blocos que puderem, não importando de qual estilo seja. "A gente gosta de música, não importa qual tipo, e a alegria da festa aqui", comenta Raíssa. As fantasias das três variam de Malévola - a vilã do conto de fadas Bela Adormecida -, noivinhas e até de Google Maps. "Com plaquinhas escrito: seu destino é aqui", brinca Amanda. 

Amigas
Raíssa, Romaísa e Amanda vieram de Barbacena para curtir pela primeira vez o Carnaval de BH 

Também estreante na folia da capital mineira, o estudante Stevan Cristhian, de 20 anos, desceu do ônibus já animado para curtir algum bloquinho nesta sexta. "Eu sou de Conselheiro Lafaiete e decidi vim para BH este ano por causa dos meus amigos que me animaram e disseram que este vai ser o maior Carnaval do país", conta. 

EstudanteStevan é outro estreante na folia belo-horizontina e chegou animado neste sexta-feira 

O amigo dele, também estudante, Lucas Couto, 20, já conhece a folia belo-horizontina. "Já tem dois anos que venho para cá no Carnaval, gosto bastante, principalmente por causa do pessoal, que é bem legal, e dos blocos de bairro", diz. 

Fama que vai longe 

Não por acaso, este é considerado o maior Carnaval da história da cidade, com expectativa de receber 4,6 milhões de foliões - o dobro da própria população. E a fama da folia da capital mineira tem chegado mais longe no país. 

Como observa o diretor-presidente interino da Belotur, Gilberto Castro, no ano passado a maioria dos foliões turistas era da região Sudeste, especialmente de outras cidades de Minas, de São Paulo e do Rio. Já neste ano, há uma diversidade maior de pessoas que vêm do Nordeste para curtir o Carnaval por aqui, e tá mesmo de argentinos.

"Este crescimento é importante para mover a cadeia do turismo na cidade e gerar impacto econômico. Além do turismo, o Carnaval traz consequências a vários outros setores, como o de hotelaria, por exemplo, e o de gastronomia", comenta. Para se ter uma ideia, até esta sexta, a cadeia hoteleira da cidade já registra uma taxa de ocupação de 80%, segundo Castro. 

Com poucos investimentos em publicidade, o crescimento ano a ano da maior festa de BH é espontâneo. "Acho que toda essa diversidade de blocos e de festas, de música, uma hotelaria mais barata do que a de outras cidade de Carnaval, uma boa gastronomia e a hospitalidade e receptividade do povo belo-horizontinho são o que atraem os turistas. E quando eles chegam a BH, acabam se surpreendendo com a cidade, o que faz com que voltem em outras épocas do ano", conclui. 

Leia mais:

Pra pôr na pochete: folião deve caprichar no 'kit de salvamento' e escolher calçados confortáveis
No pique pra folia: dieta equilibrada garante energia no Carnaval e ajuda a regenerar o corpo
Guia do Carnaval! Faça o download da programação dos blocos imperdíveis da folia em BH