Pelo menos 95 cidades de Minas tiveram falta de vacina da Covid para a 2ª dose, aponta pesquisa

Anderson Rocha
arocha@hojeemdia.com.br
30/04/2021 às 18:13.
Atualizado em 05/12/2021 às 04:49
 (Tânia Rêgo/ Agência Brasil)

(Tânia Rêgo/ Agência Brasil)

Pelo menos 95 cidades mineiras registraram falta de vacinas contra a Covid-19 para a aplicação da segunda dose nesta semana. A conclusão é da pesquisa semanal da Confederação Nacional de Municípios (CNM) sobre os desafios enfrentados pelos gestores locais no combate à pandemia. No Brasil, conforme o estudo, mais de 869 localidades tiveram a mesma dificuldade no mesmo período. 

Segundo especialistas, a não aplicação da segunda dose é ainda mais preocupante do que a falta da primeira aplicação, já que há um prazo a ser cumprido pelo paciente imunizado para que a vacinação seja completa. Na CoronaVac, esse intervalo é de 14 a 28 dias entre a primeira e a segunda doses. Já no caso da AstraZeneca, três meses. A reportagem procurou o Ministério da Saúde para saber qual é a recomendação para quem perde o prazo da segunda dose e aguarda retorno.

De acordo com os dados da 6ª edição da "Pesquisa CNM – Covid-19", o estudo foi feito por amostragem e ouviu 583 dos 853 municípios mineiros, no período entre segunda (26) e quinta-feira (29). Entre os respondentes, 95 deles afirmaram que faltou vacina para aplicar a segunda dose no município em que atuam; enquanto os outros 488 representantes declararam que o estoque estava dentro da normalidade.

Primeira dose

Já em relação à primeira dose do imunizante, os mesmos gestores de saúde dos municípios responderam que houve falta em 131 cidades mineiras. Outras 449 lideranças afirmaram à pesquisa que havia vacinas suficientes para aplicação da primeira etapa. O estudo não informa o nome das cidades com falta de compostos químicos. Conforme a confederação, a privacidade é mantida para garantir que os representantes locais continuem participando e oferecendo dados fidedignos.

No país como um todo, os pesquisadores ouviram 2.831 gestores, do total de 5.568 municípios brasileiros. Segundo a CNM, 673 deles afirmaram ter havido falta de vacinas para a primeira dose; enquanto 869 declararam que não havia imunizantes suficientes para a aplicação da segunda dose.

Outros dados

Ainda sobre o cenário de Minas, a pesquisa da CNM fez outros questionamentos aos 349 gestores municipais, como falta de medicamentos do 'kit intubação' e de oxigênio nos hospitais das cidades. Veja abaixo:

Nesta semana, há risco iminente do hospital da sua região ficar sem medicamento do 'kit intubação'?Sim: 30%Não: 60,7%Não respondeu: 9,3%

Nesta semana, há risco de faltar oxigênio no hospital e centro Covid do seu município?Sim: 10,6%Não: 87,3%Não respondeu: 2,1%

Há pacientes internados em Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) aguardando leitos de UTI?Sim: 22,9%Não: 75,2%Não respondeu: 1,9%

Nesta semana ou na anterior o município registrou pacientes intubados na UPA?Sim: 75%Não: 25%Não respondeu: -

A pesquisa completa pode ser vista aqui.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por