Perigo: Giárdia, inimiga invisível dos cachorros

Patrícia Santos Dumont - Hoje em Dia
Hoje em Dia - Belo Horizonte
04/05/2013 às 11:46.
Atualizado em 21/11/2021 às 03:24

Focinhos ousados em busca de um cheirinho novo e patinhas despreocupadas que pisam no que estiver pela frente. Para todo cachorro, a verdadeira graça de um passeio é descobrir e explorar diferentes ambientes. Para os donos, porém, fica o alerta: evite deixá-lo à vontade demais e fique atento ao que ele cheira, pisa e, eventualmente, venha a comer. Ingerir, farejar ou simplesmente carregar nas patas alimentos ou água contaminados por cistos de um protozoário, a giárdia, pode provocar uma infecção intestinal e gástrica no animal de estimação: a giardíase.    Segundo Lucas Maciel Cunha, especialista em medicina veterinária preventiva, a doença é a segunda maior causa de gastroenterites hemorrágicas em cães e deve ser prevenida.   “O melhor a fazer é prestar atenção no comportamento do animal, principalmente na rua. Apatia, perda de apetite, vômito e fezes com sangue são indicativos da doença”, alerta.    Cuidado especial   A shitzu Lila, de 1 ano, foi contaminada no fim do ano passado. A dona dela, a dentista Bárbara Rezende Neves, de 29 anos, notou que a cadelinha estava diferente.    “Muito quietinha e fez cocô em casa, coisa que nunca acontece. As fezes também estavam pastosas e com sangue”, conta.
  Lila ficou dois dias internada e o diagnóstico foi certeiro: giardíase. Ela passou por exames e foi medicada com soro e antibiótico.    A rotina de passeios diários foi mantida, conta Bárbara, mas a atenção acabou redobrada. “Quando chegamos em casa, lavo as patinhas dela com o mesmo xampu que dou banho e, na rua, evito deixar que ela cheire cocô ou xixi de outro cão e postes”, acrescenta.   O veterinário Lucas Maciel explica que o diagnóstico da doença, que se não for tratada pode levar à morte do animal, é feito também por meio de exame clínico.    “Como os sintomas são muito característicos, exames laboratoriais podem nem ser tão necessários”, afirma.   Infecções comuns, intoxicação por veneno e parvovirose têm sintomas semelhantes aos da giardíase. O ideal, portanto, é buscar tratamento médico. Por se tratar de uma zoonose (doença de animais), a giardíase pode ser transmitida ao homem.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por