Aumento da circulação de veículos, precariedade das rodovias, imprudência ao volante, radares inoperantes e previsão de muita chuva. Fatores de risco não faltam aos mineiros que pretendem pegar estrada para curtir o feriado prolongado. Só na malha federal do Estado, mais de meio milhão de automóveis devem rodar nos três dias do recesso de Finados.

Os condutores devem ficar alertas para erosões, buracos, deformações na pista, obras e desvios. A má sinalização de trânsito também preocupa. São pelo menos 131 trechos que requerem atenção redobrada nas rodovias estaduais e federais.

O levantamento feito pelo Hoje em Dia pode ser conferido nos sites do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e do Departamento de Estradas de Rodagens de Minas Gerais (DER-MG). No do órgão federal existem 68 pontos destacados, sendo 30 em vermelho, que significa “cuidado”, e 38 em amarelo, ou “atenção”.

Há alertas nas principais rodovias, como a BR-262 (que liga Minas ao Espírito Santo), BR-050 (no Triângulo) e BR-381 (entre Belo Horizonte e Governador Valadares). Nesta última, não bastasse o trecho sinuoso, com curvas acentuadas, obras estão sendo feitas. Em alguns pontos, o tráfego segue no esquema “siga/pare” para o trabalho das máquinas.

Na malha estadual, o DER informa que o tráfego está totalmente interrompido na rodovia LMG-840, no trecho entre Padre Fialho e Pedra, na Zona da Mata. Há restrições em outros 62 pontos, como circulação permitida somente em meia pista, limite de peso e condições precárias.

ANTIGO PROBLEMA

Professor de engenharia de transporte e trânsito da Universidade Fumec, Márcio Aguiar reforça que a má condição das estradas mineiras é um problema antigo e distante de uma solução eficaz. Segundo ele, os investimentos são muito limitados.

“O Estado e todos os governos, de forma geral, não dão conta. Não investem em infraestrutura viária. O asfalto é muito antigo e sem manutenção”, afirma o especialista. Para ele, o único caminho é a privatização. “É preciso fazer mais concessões. Nesses casos, a obrigatoriedade de conservação reza em contrato e é sempre cumprida”.

Segundo o DER, a manutenção nas rodovias estaduais é pontual, feita por meio do contrato e executadas pelas 40 coordenadorias regionais. Somente em casos específico é aberta a licitação. Neste ano, estão sendo destinados R$ 378 milhões para manutenção e conservação de rodovias, distribuídos em diferentes ações de recuperação do pavimento, melhoria das condições de tráfego, conforto e segurança.

A reportagem entrou em contato com o Dnit, em Brasília, mas nenhuma resposta foi dada sobre manutenção das BRs.

Com radares desligados há um ano, motoristas abusam da velocidade
Neste mês completa-se um ano de inoperância de 240 radares fixos instalados em estradas estaduais de Minas. Os aparelhos foram desativados após o vencimento do contrato de manutenção. São exatos 26,7 mil quilômetros de pistas desguarnecidas e nenhuma previsão para religar os equipamentos.

Engenheiro civil e mestre na área de transportes, Silvestre de Andrade Puty Filho demonstra preocupação. Segundo o especialista, os radares são indispensáveis na fiscalização e a falta deles deixa os infratores impunes. “Os radares são fiscais permanentes, atuando 24 horas por dia, sete dias da semana. Fiscalização mais eficiente que essa não existe”, diz.

Segundo ele, o problema se agrava nos feriados. “A presença física dos dispositivos eletrônicos inibe alguns motoristas que estão viajando, mas como a situação se arrasta há um ano, há condutores que já sabem do desligamento e comete, abusos, favorecendo o risco de acidente”.

Edital lançado pelo DER prevê que o número de radares fixos passe de 240 para 393, além de 13 estáticos, que podem ser deslocados. Segundo o órgão, foi publicado em abril a revogação do primeiro certame, atendendo decisão do Tribunal de Contas Estadual (TCE).

Em junho foi feito novo edital, mas novamente houve pedido de suspensão. O Departamento de Obras apresentou justificativas e aguarda uma decisão. Em nota, foi informado que “a previsão de entrada em funcionamento dos radares só poderá ser dada após a conclusão do processo licitatório”.

INSTABILIDADE DO TEMPO

Estão previstas pancadas de chuva nesta sexta (30) e neste sábado (31), no fim do dia, em Belo Horizonte e quase todo o Estado. No domingo e na segunda, o tempo fica ainda mais instável, podendo ocorrer precipitações mais significativas.

Segundo Heriberto dos Anjos, do Tempo Clima PUC Minas, uma frente fria vinda do Sul do país, passando por São Paulo, favorecerá a ocorrência de chuva.

FISCALIZAÇÃO

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) montará um esquema especial para o feriado, com reforço de 0h dessa sexta até meia-noite de segunda-feira. Serão priorizados a segurança e fluidez do trânsito, como número maior de policiais e de atividades educativas.

“Em relação ao último feriado, nos preocupa a possibilidade de chuva. Pedimos aos motoristas que redobrem a atenção e respeitem os limites de velocidade. Serão três dias de grande circulação de veículos em todas as rodovias”, afirma Fábio Jardim, agente da PRF em Minas.

Perigo nas estradas em mais um feriadão