Pesquisadores da UFMG iniciaram um projeto para analisar os sonhos das pessoas durante a pandemia do novo coronavírus. O objetivo é verificar, sob a ótica da psicanálise, as alterações diante do cenário excepcional para compreender as consequências psíquicas deste momento.

“O sonho é um laboratório em que a mente trabalha, elabora, sem as censuras da vida consciente, a experiência dos sujeitos. Nossos medos, nossas angústias, desejos, frustrações são encenados, como se fossem projetados numa tela de cinema, ou em várias”, afirmou o coordenador da pesquisa na UFMG, professor Gilson Iannini, do Departamento de Psicologia, em entrevista ao site da instituição.

O estudo, batizado de Sonhos em Tempo de Pandemia, reúne, além da UFMG, docentes das federais do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Universidade de São Paulo. 

Redes sociais

Eles optaram por usar a rede social Instagram para buscar voluntários para a pesquisa. Um perfil foi criado - @sonhosconfinados - onde interessados podem acessar um formulário e deixar os relatos. Não há remuneração pela participação. Não é preciso dar o nome.

Além dos relatos de sonhos, que podem ser feitos livremente, o questionário pergunta como a pessoa interpreta o sonho e abre espaço para que o participante fale de situações e sensações percebidas, ou se os sonhos mudaram a partir do isolamento.

Também é oferecida a possibilidade de conversar com algum dos pesquisadores que compõem a equipe, por telefone ou Whatsapp, para um relato que permita apresentar as informações de forma mais aprofundada.

Leia também
Erros em material entregue a alunos da rede estadual foram corrigidos, afirma secretária de Educação
São Paulo vai produzir vacina contra o novo coronavírus