Uma pesquisa do coletivo #VoteLGBT durante a 22ª Parada do Orgulho LGBT de BH, realizada no último domingo (14), mostra que a violência continua a ser o grande problema para a comunidade homossexual. Segundo a organização, que entrevistou 611 pessoas, 58,5% deste público relataram terem sido vítimas de agressões. 

O coletivo buscou mapear questões como o perfil étnico, social e econômico desse público. O mesmo questionário foi usado na Parada de São Paulo, em 23 de junho. 

“É importante mapearmos o perfil da população LGBT, pois no Brasil há uma carência generalizada de dados. Essas informações podem ser úteis inclusive na formulação de políticas públicas”, avalia o demógrafo Samuel Silva, um dos integrantes do coletivo.

A pesquisa apontou que a média de idade dos frequentadores da Parada é 26 anos. O mapeamento identificou que 15,55% deles são heterossexuais - mulheres, na maioria. 

Sobre a liberação do porte de armas, 90% se posicionaram de forma contrária e 63,9% afirmaram conhecer alguém que morreu por causa de arma de fogo.

Mais dados

Raça/cor
branca - 33,3%
preta - 32,9%
parda - 29,13%

Religião
nenhuma - 33,7%
católica - 24,22%
evangélica - 9,9%
espírita - 8,1%
umbanda - 4,9%
candomblé - 3,1%

Orientação sexual
gay - 33%
lésbica - 19,3%
bissexual - 18,3%
heterossexual - 15,5%

É favorável ao porte de armas?
não - 90,3%
sim - 7,3%

Já sofreu LGBTfobia?
sim - 58,5%
não - 24,2%

Se sofreu, onde aconteceu? 
44,5% - na rua
34,2% - na escola
24% - em casa
19,4% - no trabalho

Causas mais importantes
escolas ensinarem respeito aos LGBTs - 48,7%
cotas de emprego para transexuais - 46,6%

Qual é o tema da Parada LGBT deste ano?
não sabe/não lembra - 56,1%