Pesquisa inédita no Brasil vai investigar se cães e gatos podem contrair o coronavírus de seus tutores. Para identificar os risco de transmissão da doença entre humanos e animais, pesquisadores selecionam pets cujos donos testaram positivo para a Covid-19. O levantamento acontece diante dos recentes relatos sobre a detecção do novo coronavírus em animais domésticos, o que no início da pandemia não se acreditava possível.

Em Belo Horizonte, o estudo será feito pelo Laboratório de Epidemiologia de Doenças Infecciosas e Parasitárias do Departamento de Parasitologia do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG. Além da capital mineira, o trabalho ocorrerá simultaneamente em Campo Grande (MS), Recife (PE) e São Paulo (SP).

Um dos coordenadores da pesquisa, o professor David Soeiro (UFMG) ressalta que a pesquisa é importante para ajudar o poder público a traçar medidas de prevenção e controle da Covid-19 nos animais de estimação. As amostras recolhidas no projeto serão preservadas para estabelecer um banco para estudos posteriores.

No total, mil pets serão testados. O volume de animais selecionados levará em consideração o número de pessoas contaminadas em cada localidade. 

Partipação no estudo

Para testar cães e gatos em BH, tanto o tutor quanto os animais devem atender alguns requisitos. De acordo com a UFMG, os pets devem viver em um lar onde o dono esteja em isolamento domiciliar e que tenha diagnóstico positivo para Covid-19  (máximo de sete dias após confirmação).

O interessado que cumprir todos os requisitos deve enviar uma mensagem para covidufmg@gmail.com, informando o número de celular, e-mail, nome do tutor e do animal e especificar se é cão ou gato. A equipe do projeto entrará em contato com o retorno. 

Os voluntários, tutores ou familiares que preencherem essas condições serão orientados sobre como proceder para a coleta de amostras. Duas amostras biológicas serão coletadas em um intervalo médio de sete dias entre uma e outra.

Após a análise dos resultados dos testes, os tutores serão informados, por telefone, e um laudo eletrônico será enviado a eles por e-mail ou aplicativo de mensagem. Se o resultado for positivo, os demais animais da residência também serão testados, e os tutores serão orientados a estabelecer acompanhamento veterinário por 14 dias e a intensificar as medidas de higiene e proteção individual e coletiva.