A Polícia Federal (PF) cumpre 96 mandados de busca e apreensão e mais quatro de prisão preventiva em Minas Gerais e outros três estados, São Paulo, Bahia e Distrito Federal, na manhã desta segunda-feira (13). A operação chamada de Àguia de Haia tem como objetivo desarticular uma organização criminosa suspeita de fraudar licitações e desviar recursos federais do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Agentes públicos estariam envolvidos no esquema, mediante pagamento de propina. Estima-se que os prejuízos causados cheguem a R$ 57 milhões. Cerca de 450 policiais federais participam da operação.

Os criminosos vêm atuando desde 2009, tendo iniciado suas atividades no Estado de São Paulo, migrado para Minas Gerais e, em 2010, estabelecido sua base principal de atuação na Bahia. Verificou-se que a organização atuava em dezoito municípios do Estado da Bahia, um em Minas Gerais e um em São Paulo.

Os responsáveis pelas fraudes serão indiciados por crimes licitatórios, corrupção ativa e passiva e formação de quadrilha, entre outros delitos.